Sunday, 22 de September de 2019

CONCURSOS


Boa campanha

Apesar da derrota, belgas estão felizes com desempenho do país na Copa do Mundo

05 Jul 2014

A Bélgica perdeu o jogo contra a Argentina por 1 a 0, hoje (5), pelas quartas de final da Copa do Mundo, mas os belgas não deixaram a animação de lado por estarem no Brasil. Muitos belgas, que esperavam chegar à semifinal no dia 9 de julho em São Paulo, na Arena Corinthians, o Itaquerão, já têm passagem marcada para a capital paulistana.

“Vou continuar no Brasil até o dia 11 [de julho]. A Bélgica perdeu e estou decepcionado, mas já estou com passagem marcada e vou aproveitar para conhecer o país. De qualquer forma, estamos felizes de termos chegado até aqui [ quartas de final]”, disse o técnico em tecnologia, o belga Paul Weisenburgen, 32 anos.

Para Ebert Domeker, 31 anos, belga que mora há cinco anos em Porto Alegre, a seleção da Bélgica  tinha time para virar o jogo. “Jogamos bem, tínhamos um time pra confrontar a Argentina, mas não deu. Acontece. Agora é esperar pelo campeão. Espero que seja o Brasil”, disse.

De acordo com o estudante Michael Nowler, 16 anos, que veio ao Brasil com o pai da Antuérpia, cidade no Norte do país, a Bélgica jogou bem. “Tínhamos esperança de ganhar. Jogamos tão bem contra os Estados Unidos, em Salvador, e esperávamos que hoje pudesse ser igual. Foi uma pena”, explicou o jovem.

O contador Richard Meertens, 52 anos, esperava que a Bélgica empatasse em 1 a 1 no primeiro normal, levando a partida para a prorrogação. “Seria mais 30 minutos de prazo para a Bélgica virar. Foi um azar. Jogamos bem e demos o nosso melhor”, disse o torcedor.

O brasileiro Fábio Penteado, 30 anos, com o rosto todo pintado de vermelho, preto e amarelo, estava torcendo pelos belgas, por oposição à Argentina. “Não gosto dos argentinos e não quero ter de enfrentá-los na final, em pleno Maracanã”, disse.

O mesmo foi justificado pela torcedora brasileira, Mariana da Rocha, 25 anos. “Os argentinos são pedantes e, honestamente, tenho medo de enfrentá-los na final. Ainda mais agora, sem o Neymar”, explicou, em referência à lesão do camisa 10 da seleção brasileira  - que, depois de uma lesão na lombar, está fora da Copa.    

Mesmo sem Neymar, no entanto, muitos brasileiros não perdem a esperança de, pelo menos, chegar à final do Mundial. "Com a atuação de Fred [na seleção], nos acostumamos a jogar com uma pessoa a menos. A perda do Neymar será sentida, claro, mas temos de superar”, brincou Carlos Figueiredo, 37 anos. (ABr)

COMPARTILHE:


Confira também:


Política

Reforma da Previdência pode ser votada em 1º turno nesta terça-feira

Na primeira passagem da reforma pela CCJ, o relator da PEC, Tasso Jereissati (PSDB-CE), leu e submeteu seu parecer à comissão, que foi aprovado por 18 votos a 7 e levado ao plenário.

Assembleia

Deputados debatem novo projeto do marco regulatório do saneamento básico

A audiência contou também com a presença de Juliana Marques, presidente da Agência Tocantinense de Regulação (ATR), e Thadeu Pinto, presidente da BRK.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira