Saturday, 23 de February de 2019

CONCURSOS


Polícia Civil

Mesmo com aposentadorias e orçamento, Estado não define convocação dos aprovados no concurso da Polícia Civil

10 Sep 2018    12:06

A Polícia Civil do Tocantins tem uma estrutura prevista em Lei com um total de 2344 cargos. Desse número, 309 cargos são para peritos oficiais, contando que são 217 peritos criminais. Contudo, apenas 183 vagas dessa área estão sendo ocupadas, o que gera uma vacância de 34 cargos. Já para médicos legistas, a pasta tem 92 postos, mas só 71 estão sendo preenchidos, portanto faltam 21 pessoas para completar o quadro.


Como se não bastasse o déficit que, consequentemente gera atraso nas investigações, a estrutura da Segurança Pública ficará ainda mais defasada. De acordo com levantamento recente feito pela Comissão dos Aprovados no Concurso da Polícia Civil, 7 peritos, 1 delegado, 2 escrivães e 6 agentes já se aposentaram em 2018. A previsão da Secretaria de Segurança Pública (SSP) é que mais 20 peritos se aposentem até o final do ano. Enquanto isso, 25 remanescentes deste cargo foram aprovados pela Academia da Polícia Civil e esperam nomeação para entrar em serviço.


Ainda dentro do levantamento realizado no mês passado, a comissão constatou que após a aposentadoria dos 16 Policiais Civis, já no governo de Mauro Carlesse, com 3 exonerações e 7 desistências de posse na última nomeação, o Estado teve uma economia de R$ 419.581,05, bem próxima da metade dos recursos necessários para finalizar o certame.


 O estudo ainda constatou que o restante necessário para concluir o processo seletivo para todos os cargos, gira em torno de R$ 436.635,70, que serão providos apenas pelas aposentadorias dos Peritos Oficiais que ocorrerão ainda neste ano. Além disso, ainda de sobra recursos nos cofres públicos para realização de um novo concurso para a Polícia Civil, fato necessário e conhecido pela atual gestão.


A comissão lembra que no concurso de 2014 foram ofertadas apenas 60 vagas diretas e 20 para cadastro reserva, destas 55 candidatos tomaram posse. Mas esse número é praticamente o quantitativo de aposentados de 2014 mais os que irão deixar os cargos até o final de 2018. “Os dados apontam que consequentemente a Polícia Civil terá uma defasagem ainda maior no quadro de pessoal, o que resultará, em menos segurança para população e mais demora na resolução dos inquéritos”, enfatiza Luiza Taina dos Reis Mota, aprovado para o cargo de perito criminal.

 

Luiza ainda aposta que a solução mais viável para desafogar a demanda existente hoje na polícia, seria a convocação imediata dos aprovados no certame. “Qualquer pessoa consegue entender que segurança pública é essencial para o desenvolvimento de qualquer nação. Não dá para entender essa demora na convocação dos aprovados pno concurso. O Estado tem receita para isso e nós estamos preparados para contribuir com a população com tudo que aprendemos com muita dedicação na academia de polícia”, finaliza.

 

Concurso

Mais de 60 candidatos remanescentes do concurso da Polícia Civil foram nomeados em junho. O ato foi publicado no Diário Oficial do dia 28 de maio, com efeitos a partir daquela data. Com isso, 12 peritos, 22 delegados e 26 escrivães passaram a integrar o quadro da Segurança Pública do Estado. 


Porém, mesmo com a nomeação por parte do governador Mauro Carlesse, o quantitativo de candidatos que tomam posse representa apenas um terço dos remanescentes que aguardam a convocação. Somando os cargos ainda ficam no aguardo 96 candidatos.

COMPARTILHE:


Confira também:


Pressão

Parlamentares solicitam retomada de cirurgias e reforma de hospitais

Também foi solicitada pela deputada Cláudia Lelis (PV) a compra de insumos e materiais para unidades hospitalares do Estado.

Xingu

Viagem Gastronômica oferece menu degustação com pratos inspirados na culinária da Aldeia do Xingu

Para Ruth Almeida, a vivência com os indígenas ultrapassa o campo profissional, pois é também uma transformação da sua vida pessoal e uma experiência rica em conhecimentos.


Tocantins

Membros do MPE comemoram aprovação de Lei que permite Promotores concorrerem ao cargo de Procurador-Geral de Justiça

Pelo projeto de Lei, poderão compor a lista tríplice, a partir da próxima eleição, os Promotores de Justiça de 3ª entrância, em exercício na instituição, que tenham no mínimo 10 anos de carreira e 35 anos de idade.


Palmas

Tiago Andrino apresenta projeto que institui tradução simultânea em Libras na Câmara

Anteriormente, Andrino já havia solicitado o serviço, por meio de requerimento, o que permitiu que um profissional de Libras atuasse na Casa de Leis por aproximadamente um ano.


Palmas

Projeto aconchego acolhe e leva tranquilidade aos acompanhantes na UTI do HGP


Sesau

Casos de Sarampo em estados vizinhos causam preocupação na Saúde


Em audiência com Tiago Dimas, Ronaldo Dimas e Eduardo Gomes, ministro garante liberação de recursos


AL

Presidente da Assembleia recebe demandas do sindicato dos jornalistas do Tocantins


Presidente

Léo Barbosa é eleito presidente do Bloco Brasileiro da União de Parlamentares Sul-Americanos


Defesa do Comércio

Diogo Fernandes lidera Frente Parlamentar em defesa do comércio



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira