Monday, 16 de September de 2019

CONCURSOS


Prevenção ao suicídio

Seciju realiza campanha “Setembro Amarelo” de prevenção ao suicídio em aldeias indígenas

05 Sep 2018    10:30
Divulgação Seciju realiza campanha “Setembro Amarelo” de prevenção ao suicídio em aldeias indígenas

O suicídio é um fenômeno multifacetado que pode afetar indivíduos de diferentes origens, classes sociais, idades e orientações sexuais. Por isso, a Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Diretoria de Direitos Humanos e da Gerência de Proteção dos Povos Indígenas, promove ações de conscientização e prevenção ao suicídio nas aldeias indígenas tocantinenses, uma triste realidade que acomete esses povos. As visitas iniciam dia 7 de setembro, na Aldeia Brejo Cumprido, em Tocantínia, e nos dias 13 e 14 na Aldeia Santa Isabel, em Formoso do Araguaia.

As visitas vão contar com o apoio de uma equipe multidisciplinar, composta por psicólogo, assistente social e educadores. No período da manhã, a programação prevê uma palestra de prevenção ao suicídio. Já no período da tarde, os indígenas participam de atividades culturais locais, como a corrida de tora de buriti e a realização das danças tradicionais.

O gerente de Proteção dos Povos Indígenas, Sitbró Xerente, tem atuado na mobilização da participação indígena nos dias em que as equipes visitam as aldeias. “Essa mobilização é importante para a prevenção, para que não venha a se tornar algo recorrente. Vamos atender, nesse primeiro momento, as etnias Xerente e Karajá”, disse Sitbró, lembrando que no Tocantins são poucos os casos de suicídio entre os povos indígenas. Mas, de acordo com dados do Ministério da Saúde, a taxa de mortalidade por suicídio entre indígenas é quase o triplo da média nacional.

Desde 2015, o Centro de Valorização da Vida (CVV) escolheu o mês de setembro, identificado com a cor amarela, para trazer o diálogo sobre suicídio para a sociedade, por meio da conscientização e prevenção. “Falar sobre o assunto é extremamente importante, justamente para que possamos reduzir o número de pessoas vulneráveis. Para que possamos evitar suicídios, o diálogo é o primeiro passo. É preciso que as pessoas saibam que não estão sozinhas e podem buscar ajuda”, explica Sibele Letícia Biazotto, diretora de Direitos Humanos da Seciju.

Estatísticas

Enquanto o Brasil registra 5,7 óbitos a cada 100 mil habitantes, o índice é de 15,2 na população indígena, quase o triplo. Distanciando-se do panorama nacional, em que os adultos de 20 a 39 anos respondem pela maior proporção dos registros de suicídio, a maioria das mortes entre os índios ocorre na faixa etária de 10 a 19 anos. “Isso pode ser explicado pelas dores causadas pelo choque de tradições culturais indígenas e a cultura do homem branco. O autoextermínio indígena é um pedido silencioso de socorro”, supõe Sitbro Xerente, gerente de Proteção dos Povos Indígenas.

Prevenção

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 800 mil pessoas morrem por suicídio no mundo por ano. Isso representa uma morte a cada 40 segundos, e saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo pode ser o primeiro e mais importante passo para salvar uma vida. Nesses casos, incentive a pessoa a procurar ajuda de profissionais do serviço de saúde, de saúde mental, de emergência ou apoio em algum serviço público. Ofereça-se para acompanhá-la a um atendimento.

Se você acha que essa pessoa está em perigo imediato, não a deixe sozinha. Procure ajuda de profissionais de serviços de saúde, de emergência e entre em contato com alguém de confiança, indicado pela própria pessoa. Se a pessoa com quem você está preocupado vive com você, assegure-se de que não tenha acesso a meios para provocar a própria morte (por exemplo, pesticidas, armas de fogo ou medicamentos) em casa.

Onde procurar ajuda?

É possível buscar ajuda no Serviço de Saúde por meio do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) presentes nos municípios. O Disque 100 e o Disque 188 também podem auxiliar e funcionam diariamente, 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados. Em casos de emergência, é possível contatar o SAMU pelo Disque 192 e procurar as Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s), Pronto Socorros e Hospitais.

A ação nas aldeias tocantinenses neste mês de setembro é realizada pela Seciju, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), a Secretaria de Estado da Educação Juventude e Esportes (Seduc), o Núcleo Acolher e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

COMPARTILHE:


Confira também:


Economia

Receita libera pagamento do 4º lote de restituição do IR 2019

Lote inclui restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018

Vestibular

Inscrições abertas para o Vestibular da Unitins

Processo seletivo tem 480 vagas contemplando todos os cursos da Unitins em Palmas, Araguatins, Augustinópolis e Dianópolis. Inscrições são feitas exclusivamente pela internet


Ocorrência

Polícia Civil prende mulher suspeita de estelionato no sudeste do Estado

Mulher estava se passando por conselheira espiritual, mas na verdade aplicava golpes em pessoas do sudeste


Proibição

Adapec apreende carga de 10 toneladas de sementes de capim irregular na TO-050 entre Palmas e Porto Nacional

O proprietário da carga foi multado em R$ 2.700,00 e as sementes foram destruídas no aterro sanitário de Palmas.


Tocantins

Adetuc e consultores reúnem-se para definir implantação do Observatório do Turismo do Tocantins


Educação

Com palestras, professor da Rede Municipal de Palmas motiva alunos a enfrentarem obstáculos


Preservação

Praias de Babaçulândia recebem o mutirão de limpeza do projeto Praia Limpa, Praia Viva


Pagamento do FGTS

Caixa estende horário de atendimento amanhã e abre no sábado


Preservação

APA Ilha do Bananal Cantão dedica programação ao Dia Nacional do Cerrado


Visita

Antonio Andrade recebe alunos na Assembleia



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira