Monday, 17 de February de 2020

ESPECIAL


Câncer de colo de útero é a principal causa de morte entre as mulheres no estado

31 Jul 2008

Segundo estimativa de incidência e mortalidade por câncer, feita pelo Instituto Nacional de Câncer - Inca, em 2000, cerca de 40 mulheres, a cada 100 mil no Estado, tiveram o diagnóstico de câncer de colo de útero. Dessas 40, dez morreram. Para 2001, a estimativa teve algumas alterações. A cada 100 mil mulheres, 18 desenvolveriam a doença e 16 iriam a óbito.

Para 2002 uma previsão que não agradável: a proporção tende a crescer significativamente. Hoje, no Brasil, cerca de 10 mulheres por dia, morrem vítimas desta doença.

No Tocantins, a realidade pode não ser diferente. Somente o Hospital Padre Luso - Instituto do Câncer, em Palmas, atendeu 152 casos da doença, de 1999 até agora. "É um crescimento alarmante. Prova a falta de informação da comunidade. Quanto mais cedo for detectada a doença, mais chance de cura tem a paciente. O exame de prevenção é a melhor maneira de detecta-lo o mais precocemente possível", explicou o Oncologista Clínico, Jorge Saad, responsável pela quimioterapia do Hospital Padre Luso.

Porém, a população feminina do Estado não tem dado tanta importância aos exames preventivos. Iraíldes Ferreira de Sousa, de 57 anos, é exemplo disso. Com 53 anos de idade, começou a ter corrimentos e dores fortes na região do útero. A conselho das amigas da fazenda onde mora, não procurou o médico para certificar-se de seus sintomas. Segundo seus equivocados diagnósticos, seriam apenas sintomas da menopausa.

Contudo, quatro anos depois, ela descobriu que estava com um tumor maligno no colo do útero, descoberto após uma cirurgia de períneo. Hoje, Iraíldes faz sessões de quimioterapia e aguarda o resultado do tratamento. Caso não haja sucesso nas próximas três sessões, Iraíldes corre o risco de perder o útero.  

Em entrevista ao jornal O Girassol, o médico Oncologista, Drº Jorge Luiz Saad, especializado pelo Hospital Santa Casa de Misericórdia de Belo Horizonte- MG e responsável pelo tratamento de quimioterapia do Hospital Padre Luso, explica passo a passo quais são os cuidados para a prevenção e o tratamento contra o câncer.

 

Entrevista

O Girassol - A partir de que idade há riscos de desenvolver câncer no colo do útero e quais as principais causas da doença?

Jorge Saad - Geralmente, um tumor maligno de colo de útero acomete mulheres 35 aos 49 anos. As causas podem ser: o início precoce da vida sexual; multiplicidade de parceiros sexuais; através do HPV - papiloma vírus humano (a maior causa). O cigarro, a quantidade de partos, a higiene genital e o precário acesso ä prevenção, também podem contribuir para o surgimento da doença.

 

Como se previne este tipo de tumor?  

O câncer de colo do útero é um tumor que pode ser prevenido ou diagnosticado precocemente através do exame periódico citopatológico (Preventivo Papanicolau), que deve ser feito anualmente nas mulheres de vida sexual ativa, independente da idade. E, nas mulheres virgens, acima dos 25 anos.

 

Qual é o tratamento?  

O tratamento do câncer de colo do útero depende muito do estágio da doença (se a doença está no começo ou mais avançada). Pode ser: cirurgia, radioterapia e, às vezes, se usa também a quimioterapia.

 

O que é HPV - papilomavírus?

Os papilomavírus humanos (HPV) são vírus capazes de induzir lesões de pele ou mucosa, as quais mostram um crescimento limitado e freqüentemente regridem espontaneamente. Existem mais de setenta sub-tipos diferentes de HPV.

 

Como os papilomavírus são transmitidos e em que locais do corpo são encontrados?  

A principal via de transmissão do Papiloma Vírus Humano (HPV) é a sexual, tanto em homens como em mulheres. As infecções clínicas mais comuns ocorrem nas regiões genitais como vulva, ânus e pênis.

 

Qual é o risco de desenvolver câncer do colo do útero?  

Estudos têm mostrado que, apesar da infecção pelo papilomavírus ser muito comum (estima-se que cerca de 25% das mulheres brasileiras estejam infectadas pelo vírus), somente uma pequena fração das mulheres infectadas com um tipo de papilomavírus eventualmente desenvolverá câncer do colo do útero (estima-se que esse número seja menor que 3%).

 

Como as pessoas podem se prevenir dos HPV?  

O uso da camisinha diminui a possibilidade de transmissão na relação sexual (apesar de não evitar totalmente) e por isso é recomendado o seu uso em qualquer tipo de relação sexual, mesmo naquela entre casais estáveis.   

COMPARTILHE:


Confira também:


Brasil

Flamengo inicia 2020 com título da Supercopa do Brasil

Equipe carioca derrota Athletico-PR por 3 a 0


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira