Wednesday, 24 de April de 2019

ESTADO


ESTADO

Blitz da OAB contra cobrança de bagagem tem apoio total de passageiros

27 Jul 2018    16:27
ASCOM/Divulgação Blitz da OAB contra cobrança de bagagem tem apoio total de passageiros Abordagem de passageiro sobre a blitz da OAB

Com apoio total dos passageiros, a OAB-TO (Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins), por meio da Comissão de Direito do Consumidor, realizou, na manhã desta sexta-feira, 27 de julho, no Aeroporto de Palmas, uma blitz contra a cobrança de bagagem por parte das companhias aéreas. A exemplo de 2017, a atividade foi encampada pela OAB Nacional e se repetiu em vários aeroportos do Brasil.


A OAB Nacional está na Justiça Federal questionando trechos da Resolução n.º 400 da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) que permite essa cobrança. A ação ainda não teve resultado de mérito. Para a OAB, a cobrança é ilegal e fere o Código de Direito do Consumidor.

Em Palmas, a atividade contou com a parceria do Procon, do MPE (Ministério Público Estadual) e da Agência Estadual de Metrologia (órgão que atua para o Inmetro). “A receptividade que a população e os passageiros deram foi enorme. Há um sentimento de injustiça e de que as pessoas foram enganadas, pois uma das justificativas para cobrar a bagagem era que a passagem ia diminuir, e isso não ocorreu. O Brasil tem passagens muito caras, entre as mais altas do mundo”, ressaltou o presidente da Comissão de Direito do Consumidor, Ênio Horst.

Além de Horst, estiveram representando a comissão na atividade Suyanne Lanusse (secretária-geral), Khellen Alencar, Annette Riveros e Marina Campos. No panfleto distribuído aos passageiros, constavam várias informações sobre direito dos consumidores ao contratar os serviços das companhias aéreas, como, por exemplo, a obrigatoriedade da empresa em fornecer alimentação em caso de atrasos nos voos superiores a duas horas, mesmo que isso tenha ocorrido por fatores climáticos.

“As comissões da OAB de Direito do Consumidor vão continuar nesta luta, junto com a OAB Nacional e as Secionais. O Brasil não já tem uma altíssima carga tributária e não é correta a criação de taxas e mais taxas para onerar, ainda mais, quem precisa usar serviços”, ressaltou Suyanne.

Por sua vez, Khellen Alencar ressaltou o trabalho da advocacia na questão do direito do consumidor, salientando que a Ordem tem o papel institucional de trabalhar pelo cumprimento da Constituição e das leis no Brasil. “Infelizmente, a Anac agiu em prol da empresa e contra as pessoas”, destacou.

Para a dentista Tatiani Oliveira, que aguardava voo no aeroporto no momento da blitz, a ação da OAB é “maravilhosa”, pois as pessoas estão sendo lesadas com a cobrança da bagagem. Ela ressaltou que pagou R$ 80 para o despacho da mala, quase metade do valor da passagem. Além disso, ao destacar que deseja todo o sucesso na ação civil pública da OAB Nacional contra a cobrança, lembrou que havia promessa de redução da passagem com a cobrança da mal, mas o que ocorreu foi aumento dos preços.

Histórico
Desde que a Anac aventou a possibilidade de atender o pleito das empresas aéreas por cobrar uma taxa extra para despacho de bagagens, a OAB Nacional se manifestou explicando o por que a medida seria ilegal e prejudicial aos consumidores. Na época, a Comissão Especial de Defesa do Consumidor da OAB Nacional fez um estudo e apresentou um parecer que indicava que a nova cobrança seria desvantajosa para os clientes em relação às companhias aéreas.

A OAB também explicou que nem a Anac nem as empresas aéreas poderiam dar garantias de que cumpririam a promessa de diminuir os preços das passagens aéreas por causa do início da cobrança pelo despacho de bagagens.

Em 22 de dezembro de 2012, a OAB apresentou à Justiça Federal uma ação contra a norma editada pela Anac com a autorização para as empresas efetuarem a cobrança extra. A regra passou a vigorar em maio de 2017 e segue vigente até hoje. Em 2018, a própria Anac divulgou números que mostram o lucro recorde das maiores empresas aéreas e também que o preço da passagem não caiu. A OAB foi à Justiça, novamente, desta vez para contestar o aumento na taxa de despacho de bagagem. (Com informações da OAB Nacional)

COMPARTILHE:


Confira também:


Consórcio da Amazônia Legal

Em Consórcio da Amazônia Legal, governador Carlesse propõe atuação conjunta das bancadas em prol dos Estados

Após fala de Carlesse, foi aprovada reunião conjunta com as bancadas e Palmas como sede da próxima reunião do Consórcio


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira