Palmas, 27/07/2017

Estado

Malária

Combate à malária no Tocantins é destaque em Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas

  • A estratégia buscou identificar e tratar oportunamente casos importados para impedir a reintrodução da doença nos municípios e, consequentemente, evitar a gravidade e a letalidade da doença

Combate à malária no Tocantins é destaque em Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas



Aldenes Lima/Governo do Tocantins
 
As ações de combate à malária no Tocantins de 2003 a 2016 foram apresentadas na 15ª edição da Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (15ª Expoepi), em Brasília. O painel "A experiência do Tocantins na vigilância da malária" teve como objetivo apresentar as estratégias utilizadas pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Doenças Vetoriais e Zoonoses, da Secretaria de Estado da Saúde, para a vigilância e prevenção da doença que em 2003 registrou 1.211 casos em 43 municípios, e em 2016 apenas 23 casos em quatro cidades.
 
A estratégia buscou identificar e tratar oportunamente casos importados para impedir a reintrodução da doença nos municípios e, consequentemente, evitar a gravidade e a letalidade da doença. Além disso, as ações buscaram impedir a transmissão da doença nos locais em que ainda há transmissão. A intensificação da vigilância teve início nos municípios com os maiores números de casos, aqueles na fronteira com o Estado do Pará e os que possuem muitos projetos de assentamentos e impactados por empreendimentos de grande e médio porte (UHEs, estradas, pontes, linhas de transmissão).
 
Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica de Doenças Vetoriais e Zoonoses, Mary Ruth Batista Glória Maia, dentre as atividades desenvolvidas destacaram-se o apoio da União e do Estado na estruturação das vigilâncias municipais, com mais viaturas (carros, motos, barcos), equipamentos e insumos estratégicos. "Capacitamos os profissionais de saúde que trabalham nos municípios e ampliamos a rede de diagnóstico, além de atentarmos para manter o estoque mínimo de antimaláricos nos municípios", informou.
 
O monitoramento das notificações através do Sistema de Informação e Vigilância Epidemiológica (SIVEP), com a participação efetiva da Secretaria nas ações de vigilância e controle foi fundamental para o apoio aos municípios e redução dos casos. "Todos os dados foram avaliados para a tomada de decisões e também foram elaborados boletins mensais", destacou a diretora, acrescentando que as ações foram executadas de acordo com as diretrizes do Ministério da Saúde.
 
O secretário de estado da Saúde, Marcos Musafir, destacou que as estratégias já adotadas pela Secretaria contribuíram para o controle da doença, durante o surto ocorrido este ano, quando foram registrados 43 casos em Araguatins (33 autóctones e 13 importados).
 
Para o alcance dos objetivos, de acordo com o projeto apresentado na Expoepi, foi imprescindível o acompanhamento da aplicabilidade dos recursos financeiros; fortalecimento do trabalho conjunto entre a vigilância e atenção básica, estadual e municipal; desenvolvimento das ações de comunicação, mobilização social e educação em saúde; conhecimento das peculiaridades locais e a motivação constante dos profissionais de Saúde.
 
A 15ª edição da Mostra Nacional de Experiências Bem-Sucedidas em Epidemiologia, Prevenção e Controle de Doenças (15ª Expoepi) foi realizada entre os dias 28 a 30 de junho.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus