Saturday, 14 de December de 2019

ESTADO


Rio de Janeiro

Oi Futuro apresenta mostras de Niura Bellavinha, Albano Afonso e Adriana Varejão

29 Aug 2014

O Oi Futuro no Flamengo recebe três novas exposições de artes visuais a partir de 19 de agosto: Adriana Varejão com “Transbarroco”, no nível 1; Niura Bellavinha com “Em Torno da Luz”, no nível 4 e Albano Afonso com “Anatomia da Luz” nos níveis 5 e 8. As exposições contam com patrocínio da Oi, via Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro e apoio cultural do Oi Futuro.
           
“Pensamos em unir três artistas contemporâneos capazes de criar um fluxo único a partir do contraste de luz e sombra ou mesmo de oposições potencialmente barrocas”, conta Alberto Saraiva, curador de Artes Visuais do Oi Futuro. “É uma oportunidade de apresentar um conjunto de artistas que pensam a Pintura em distensão no Brasil. Assim, juntamos Adriana Varejão, Niura Bellavinha e Albano Afonso”, conclui.
 
Niura
“Em Torno da Luz” foca na apresentação do primeiro média-metragem da artista Niura Bellavinha, “NháNhá”, que coloca às vistas do observador a pintura em processo. Rodado no interior do Brasil, a nova obra volta a explorar situações onde o ar torna-se suporte do pigmento, no caso a poeira – enquanto pigmento seco – que junto com a luz, transforma-se em pintura efêmera, poética e trágica. As cidades mineiras, desocupadas pela atuação de mineradoras, com suas paisagens atravessadas pela poeira, tornam-se suporte da artista, que desenvolve sua pintura a partir do tempo e da interação do movimento do ar com a luz.
 
Dirigido por Bellavinha e realizado pela artista e pelo curador de Artes Visuais do Oi Futuro, Alberto Saraiva, a obra remete o espectador ao "tempo da pintura", como define a artista. A artista  buscou criar planos fixos sendo envolvidos por camadas de poeira, como uma pintura efêmera que se transforma lentamente. Com pictórica fotografia e edição de Alexandre Baxter, finalização de Lucas Sander, ambos cineastas mineiros, que concluíram tratar-se de um filme de arte, “NháNhá” envolve o espectador e o introduz à uma visão única da pintura.
 
O filme será apresentado ao longo de uma parede de 19 metros, com projeção central e laterais que criam uma dinâmica através da qual as diversas tomadas envolvem quem as observa: "o entorno transforma-se em pintura e segue por transformar minha própria pintura em filme", comenta a artista. Graças a um desenho de som primoroso, assinado por O Grivo, "a coisa vista é redimensionada e ressignificada: o som acompanha o filme com delicada sutileza e revela o que está além da imagem vista devido aos ruídos e interferências. A casa fala, as máquinas emitem o som da destruição de forma sútil e intimista", conta Niura Bellavinha.
 
“NháNhá” é som, apelido usado no Brasil profundo, das vozes das mucamas que cuidavam das crianças e é antes de tudo pintura em toda sua complexidade. “Em Torno da Luz” oferece ainda um panorama conceitual da obra da pintora, que acredita que "o princípio é a luz".  Ao dar forma e corpo à pintura por meios que desviam das convencionais telas, tintas e pinceis, a artista transforma o olhar do espectador e sua relação com a pintura. A exposição também será composta por um conjunto de obras antológicas.
 
Vídeos como “Pampulha virando dia”, que tomam como suportes fluidos os espelhos d’agua da Lagoa da Pampulha em Belo Horizonte e “Perfomed Painting – Vestige”, filmado em Lavras Novas, também estarão entre as obras apresentadas. Um conjunto de peças oriundas de uma coleção feita na infância, completa o cenário com a formação de um mapeamento afetivo convertido na obra conceitual “Peças”. 
 
Albano
Na mostra “Anatomia da Luz”, assim como em suas exposições anteriores, o artista Albano Afonso estabelece um diálogo entre a obra, a arquitetura da galeria e o observador. Esta instalação site-specific compõe, por meio da luz, sombra e movimento, um jogo de percepções onde o olhar pousa para além da obra, revelando imagens que exploram o espaço construído como parte ilusória da realidade.
 
A partir de cristais, espelhos, esculturas, vídeo e projeção de luz, Albano Afonso enfatiza os efeitos ópticos para gerar uma atmosfera em constante mutação que impregna o espaço e o observador. Entendendo a luz como elemento condutor, as peças apresentadas configuram diferentes perfis plásticos que propõem um diálogo com a pintura, a fotografia e o cinema.
 
Adriana
“Transbarroco” é a primeira videoinstalação da carreira de Adriana Varejão, exibindo detalhes do que a artista chama de “as joias do barroco mestiço brasileiro” e traçando a rota das influências de seu trabalho, ao capturar quatro igrejas das mais importantes do período no país: a Igreja de São Francisco, em Salvador, a Ordem Terceira de São Francisco, no Rio de Janeiro, a Igreja de São Francisco de Assis, em Ouro Preto (MG), e a Sé de Mariana, em Mariana (MG).
 
A videoinstalação estará disposta em telas flutuantes e dispostas na galeria, em vez de nas paredes, formando ângulos irregulares, criando, assim, uma dinâmica no espaço. Dirigida pela artista e co-dirigida por Adriano Pedrosa, produzida por Lula Buarque de Hollanda e com som a cargo de Berna Ceppas, a obra mistura batuque do Olodum, vozes dos guias das igrejas, sinos, samba e até um trecho de “Casa-Grande & Senzala” de Gilberto Freyre recitado pelo escritor angolano José Eduardo Agualusa às imagens que se debruçam sobre detalhes da azulejaria, dos elementos em ouro, entre outros, presentes nas igrejas barrocas.
 
Biografias:
Niura Bellavinha vive e trabalha entre Rio de Janeiro e Belo Horizonte, sua cidade natal. Ao logo de sua carreira, participou de diversas exposições coletivas e de bienais como São Paulo (1985 com Performance; 1994 quando apresenta pinturas em grandes dimensões); MERCOSUL (1997 pintura - instalação e 2005 Performance-vídeo); Cuenca, Equador, (1995, pintura); Biwako, Japão (2010 Pintura-Instalação-vídeo. A artista vem realizando individuais e participando de exposições no Brasil e no exterior, onde suas obras fazem parte de importantes coleções, acervos Institucionais e particupares.
 
Ainda em 2014, seu primeiro filme, “NháNhá” será exibido na Biennale Biwako, no Japão, em setembro. Em 2015, ela prepara uma interferência urbana inédita na cidade de Genebra. Paralelamente, a artista já desenvolve o roteiro de seu primeiro longa-metragem, a ser rodado em 2016.

ALBANO AFONSO, (São Paulo - SP, 1964)
Vive e trabalha em São Paulo, formado pela faculdade de Artes Alcântara Machado, (FAAM), em 1990. Em 1994, realizou sua primeira exposição individual no Centro Cultural São Paulo.

Exposições individuais selecionadas: 2015 – Across the Univerve part I, Contemporary Arts Center, Cincinnati, EUA , Across the Univerve part II, 21C Museum, Cincinnati, EUA,  2014 – Anatomia da Luz, Oi Futuro, Rio de Janeiro, Brasil, Amor Fati, Museu de Arte de Ribeirão Preto, Brasil, O Homem Luz - Viva o Nosso Rei, CarpeDiem arte e pesquisa, Lisboa, Portugal,  2013 –  Anatomia da Luz, Invaliden1 Galerie, Berlim, Alemanha, 2012 – Cristalização da Paisagem, Bodson Gallery, Bruxelas, Bélgica,  2011 – A Natureza, intervenção no Hospital Edmundo Vasconcelos, São Paulo, Brasil, 2010 – O Jardim - Faço, nele, a volta do infinito - A Noite, Galeria Casa Triângulo, São Paulo, Brasil,  2009 – A Nave, Sandra Cinto e Albano Afonso, Carpe Diem, Lisboa, Portugal – En Faisant des Étoiles,  Espace Beaujon, Paris, França.

Exposições coletivas selecionadas:
2014 – Sur Nouvelles Narratives, Château de Fernelmont, Begium, Casa Triângulo 25 Anos, Edifício COPAN, São Paulo, Brasil, Duplo Olhar – Coleção Sérgio Carvalho, Paço das Artes, São Paulo, Brasil,  2013 – I Bienal Internacional de Fotografia do MASP, Museu de Arte Moderna de São Paulo (MASP), São Paulo, Brasil, Circuitos Cruzados O Centre Pompidou encontra o MAM, Museu de Arte Moderna, São Paulo, Brasil, 2012 – 7SP - Sete Artistas de São Paulo,  CAB Art Center, Bruxelas, Bélgica , 2011 – Construção e Descontrução da Arte Brasileira ( anos 90-dias de hoje ), Palais des Beaux-Arts, Bruxelas, Bélgica, Cómo nos mira, Centro Galego de Arte Contemporánea de Santiago de Compostela, Santiago de Compostela, Espanha, Projeto Ideal, Centro Cultural São Paulo, São Paulo, Brasil, FiatLux, MACUF, La Coruña, Espanha, 2010 – 29o.Bienal de São Paulo – Há sempre um copo de mar para um homem navegar, São Paulo, SP, Brasil.
 
Adriana Varejão nasceu e vive no Rio de Janeiro. Participou de bienais como São Paulo (1994 e 1998), Sydney (2001), Istanbul (2011), SITE Santa Fé (2004), Liverpool (1999 e 2006) e Mercosul (1997 e 2005). Sua obra já foi mostrada em grandes instituições internacionais como MoMA (Nova York), Fundação Cartier (Paris), Centro Cultural de Belém (Lisboa), Hara Museum (Tóquio) e The Institute of Contemporary Art (Boston). Um pavilhão dedicado à sua obra pode ser visto no Instituto Inhotim, em Minas Gerais. A artista está presente em acervos de importantes instituições, entre elas Tate Modern, Fundação Cartier, Hara Museum, Stedelijk Museum e Guggenheim. Adriana Varejão recebeu o Prêmio Mario Pedrosa (artista de linguagem contemporânea), da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA) e o Grande Prêmio da Crítica, da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA), pela exposição “Histórias às margens”, realizada em 2012/13 no MAM SP, MAM Rio e MALBA.
 
Ficha Técnica:
EM TORNO DA LUZ – Niura Bellavinha
 
exposição Em Torno da Luz _ exhibition On Light

coordenação-geral _ general coordination Lúdica Produções | Diogo Cavour

curadoria _ curatorship José Alberto Gomes Saraiva

cocuradoria _ co-curatorship Aïcha Barat

produção-executiva _ executive production David Coelho e Aïcha Barat

assistente de produção _ production assistant João Gabriel Balbi

cenotécnico _ scenography Adriano Trindade

iluminação _ lighting Carlos Lafert

vj e video mapping _ vj and video mapping Guigga Thomaz

coordenação técnica e montagem _ technical

projeto expográfico _ expographic project estúdio o/

malabares | Julieta Sobral e Ana Dias

identidade visual _ visual identity estúdio o/ malabares |
Julieta Sobral e Ana Dias

tradução _ translation Thiago Bernardo

revisão e padronização de texto _ proofreading and text
standardization Feiga Fiszon

gestão de projeto _ project management Lívia Simas

assessoria de imprensa _ press officer/communications Oi Futuro

gráfica _ printing Rona

Sinalização _ signage Stickeria

registro fotográfico _ photographic record Thales Leite

registro videográfico _ videographic record Lúdica

Produções
monitora_ monitoring Consuelo Barros

filme _ film | NháNhá média-metragem, 33 min. _ medium-lenght film 33 min.

direção e roteiro _ director and screenwriter Niura Bellavinha

realização _ developed by Niura Bellavinha e Alberto Saraiva

direção de fotografia e edição _ director of photography and editing Alexandre Baxter
 
ANATOMIA DA LUZ – Albano Afonso
Concepção: Albano Afonso
Curadoria: Cauê Alves
Direção de Produção: Martha Pagy | MÚLTIPLOS projetos culturais
Produção Executiva: Denise Grimming | PUEBLO
Design Gráfico: Rara Dias | ZOT design
 
TRANSBARROCO – Adriana Varejão
Direção: Adriana Varejão
Co-direção: Adriano Pedrosa
Produção: Lula Buarque de Hollanda
Trilha sonora: Berna Ceppas
Fotografia: Mauro Pinheiro e Gu Ramalho

 

Sobre o Oi Futuro
O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que desenvolve e apoia programas e projetos nas áreas de educação, cultura e sustentabilidade. O Oi Futuro tem um compromisso com a transformação e com a inclusão social, tendo como missão promover o desenvolvimento humano por meio das tecnologias da informação e da comunicação. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem.
 
Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital e criativa, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois espaços culturais no Rio de Janeiro (RJ) e um em Belo Horizonte (MG), com programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e a preços acessíveis, e o Museu das Telecomunicações nas duas cidades, além de apoiar festivais e projetos em todas as regiões Brasil por meio do Programa Oi de Patrocínios Culturais Incentivados.
 
O programa Oi Novos Brasis reafirma o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano. O esporte completa o seu escopo de atuação apoiando projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal.
 
SERVIÇO:
Em Torno da Luz / Anatomia da Luz / Transbarroco

De: Niura Bellavinha / Albano Afonso / Adriana Varejão
Curadoria: Alberto Saraiva
De 18 de agosto a 26 de outubro | Níveis 1, 4 e x
Terça a domingo, 11h às 20h
Entrada franca | Classificação etária: Livre

COMPARTILHE:


Confira também:


SSP

Polícia Civil prende três pessoas e apreende 10,5 kg de pasta base de cocaína

Policiais monitoraram por cinco meses atuação criminosa. Droga era oriunda do estado do Mato Grosso.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira