Friday, 06 de December de 2019

GERAL


Criminalização da Homofobia

Bolsonaro critica decisão do STF de criminalizar homofobia

14 Jun 2019

O presidente Jair Bolsonaro classificou como hoje (14) como "equivocada" a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em criminalizar a homofobia como forma de racismo. Ao finalizar o julgamento da questão, na tarde de ontem (13), a Corte declarou a omissão do Congresso em aprovar a matéria e determinou que casos de agressões contra o público LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais e travestis) sejam enquadrados como crime de racismo até que uma norma específica seja aprovada pelo Poder Legislativo.

"Com todo respeito, mas decisão do Supremo é completamente equivocada. Além de estar legislando, está aprofundando a luta de classes", disse durante café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto. Por 8 votos a 3, os ministros do STF entenderam, no julgamento, que o Congresso não pode deixar de tomar as medidas legislativas que foram determinadas pela Constituição para combater atos de discriminação. A maioria também afirmou que a Corte não está legislando, mas apenas determinando o cumprimento da Constituição.

Na visão de Bolsonaro, a decisão do STF pode ser prejudicial à própria população LGBT. "Prejudica o próprio homossexual, porque se o dono de um empresa for contratá-lo, vai pensar duas vezes em fazer isso já que se fizer uma piada isso pode ser levado para a Justiça".

O presidente também argumentou que a decisão poderia ferir a liberdade religiosa, já que parte dos cristãos interpreta a homossexualidade como algo repelido em textos bíblicos. Entretanto, de acordo com a decisão do STF, religiosos e fiéis não poderão ser punidos por racismo ao externarem suas convicções doutrinárias sobre orientação sexual, desde que suas manifestações não configurem discurso discriminatório.

Ministro evangélico

Bolsonaro disse ainda que se houvesse um ministro evangélico no STF, esse julgamento poderia não ter avançado. "O cara pede vista [mais tempo para análise] de processo e senta em cima dele". Até 2022, o presidente da República poderá indicar nomes para pelo menos duas vagas na corte, que serão aberta com a aposentadoria compulsória dos ministros Marco Aurélio e Celso de Mello. Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil  Brasília

COMPARTILHE:


Confira também:


Primeiro Lugar

Portal O Girassol e Jornalista Suzana Barros conquistam Prêmio Adpeto de Jornalismo

Jornalista Suzana Barros conquistou a premiação com a matéria "As faces da violência contra a mulher".

"Salve Maria"

Modelo do aplicativo “Salve Maria” poderá ser implantando no TO

Conforme o projeto, o aplicativo será desenvolvido pela Agência de Tecnologia da Informação (ATI-TO), nos moldes do aplicativo piauiense, e não vai acrescentar custos ao governo.


Mitos

Com apoio da Energisa, mitos indígenas ganham as telas em média-metragem

Histórias de três diferentes etnias são retratadas com animações criadas com as aldeias participantes


Educação

Tocantins conquista 70 medalhas na Olimpíada de Matemática das Escolas Públicas

O Estado teve três medalhas de ouro, sete de prata e 60 de bronze. Outros alunos foram premiados com Menção Honrosa e houve premiações para professores e escolas


Infraestrutura

Governo realiza obras de manutenção preventiva e corretiva no anel viário de Porto Nacional


Agenda

Balé Popular do Tocantins encerra atividadescom espetáculo ‘Notáveis’ em Palmas


Educação

Secretários Estaduais de Educação participam da última reunião ordinária do Consed em São Paulo


Saúde

Etsus realiza I Mostra Estadual de Educação Permanente em Saúde


Procon

Serviços oferecidos pelo Procon garantem que direitos dos consumidores tocantinenses sejam cumpridos


Cinema

Grandes produções estão na programação do Cine Cultura



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira