Monday, 21 de October de 2019

GERAL


Pantanal

Em manifesto, 28 entidades alertam para tragédia das queimadas no Pantanal

20 Sep 2019    16:53

Enquanto governos e sociedade civil se unem globalmente em protestos e iniciativas contra com o avanço do desmatamento e das queimadas na Amazônia, uma outra emergência ambiental de grandes proporções está em andamento e ameaça a maior área úmida continental do planeta. Neste ano, o avanço descontrolado do fogo sobre o Pantanal atingiu níveis críticos ao longo de seus mais de 150 mil km² de extensão.

 

Em território boliviano, foram afetados mais de 825 mil hectares. De agosto a setembro, mais de 175 mil hectares foram destruídos pelas chamas em áreas de preservação no Paraguai.

No Brasil, entre janeiro e agosto de 2019, ao redor de 647.200 hectares do Pantanal Brasileiro foram queimados, um aumento 455% em relação à 2018, 126% em comparação com a média dos últimos 3 anos e 96% quando comparado à média dos últimos 10 anos (INPE,2019);

 

Para dar mais visibilidade a essa situação, entidades ligadas à causa ambiental nos três países assinaram nesta quinta-feira (19/09) uma carta para cobrar união de esforços e medidas efetivas de proteção ao bioma.

 

A iniciativa foi articulada pelo Observatório Pantanal, rede internacional que reúne ONGs, movimentos sociais e pesquisadores dos três países.  "(...) As ações e desenvolvimentos humanos têm aumentado a intensidade e a frequência dos incêndios e de seus impactos adversos, culminando em incêndios incontrolados que colocam em perigo as áreas prioritárias para a conservação, bem como a capacidade de resiliência ecológica do Pantanal", alertam as entidades, em um trecho.

 

O documento é resultado da Assembleia Geral do Observatório Pantanal, que reuniu 33 entidades nos dias 27, 28 e 29 de agosto, em Campo Grande (MS).


Nas três páginas da chamada "Declaração de Campo Grande", o cenário atual no bioma é descrito como uma "tragédia socioambiental de gigantescas proporções para a natureza e para as pessoas".

 

" Somente com uma união de esforços dos governos com a sociedade civil e organizações privadas, o problema dos incêndios poderá ser minimizado e a manutenção desta importante região e de toda vida existente nessa área poderá ser garantida”, afirmam os signatários, na carta.

 

Entre as ações sugeridas ao poder público, estão a retomada de compromissos firmados em 2018 pelos ministérios do Meio Ambiente dos três países durante o Fórum Mundial da Água, realizado em Brasília.

 

Na ocasião, os governos concordaram em promover 32 medidas conjuntas que incluíam controle da poluição e o investimento em pesquisa. A carta conjunta também menciona a necessidade de mais capacidade e estrutura logística para os órgãos encarregados de ações de prevenção e combate a incêndios florestais. Sobre as entidades não-governamentais que atuam da região, o pedido é para se intensifiquem os esforços para a coleta e disseminação de informações a respeito das vulnerabilidades e ameaças ao bioma.

 

De acordo com o texto, é necessário que essas organizações consigam realizar "intercâmbios de aprendizagem, capacitações, apoiar a inovação da gestão conjunta e incentivar a adoção de modelos de restauração ambiental e prevenção de incêndios à longo prazo”.

 

Por fim, a carta lembra que as temporadas de fogo são um fenômeno cíclico, ou seja, que o planejamento e a adoção de medidas preventivas para a seca de 2020 não apenas pode como necessita começar imediatamente. "Os problemas dos incêndios ocorrem todos os anos nesta mesma época, assim que os esforços para prevenção para a estação seca do próximo ano devem começar agora, sendo muito importante inserir ações de educação ambiental e treinamentos de brigadas de incêndio no planejamento orçamentário anual dos governos ainda este ano”.

COMPARTILHE:


Confira também:


Economia

Governador destaca mineração como fator de desenvolvimento econômico e geração de empregos

Declaração do Chefe do Executivo ocorreu durante leilão da jazida de minério de Palmeirópolis, nesta segunda-feira, 21, no Rio de Janeiro. Expectativa é que dois mil empregos sejam gerados com a instalação no empreendimento

Economia

Comércio puxa recuperação na oferta de vagas de emprego no estado

Ainda sobre o Caged, setembro mostra que Araguaína foi a cidade com maior variação negativa (-139 vagas) e Porto Nacional com variação positiva (167 vagas). A capital Palmas registrou uma variação de – 42 vagas.



Cooperação Técnica

Governo assina termo de Cooperação Técnica com instituições públicas e privadas para execução de ações de pesquisa e extensão agropecuária

Termo estabelece condições para o bom andamento dos trabalhos propostos na área do Centro Agrotecnológico de Palmas


Outubro Rosa

Resolve Palmas promove palestra sobre prevenção ao câncer de mama

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de mama é o tipo da doença mais comum entre as mulheres no Brasil e depois do câncer de pele não melanoma, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos a cada ano. No Brasil, esse percentual é de 29%


Legislativo Municipal

Câmara de Palmas funcionará em novo endereço a partir de 2020

A estrutura da 104 Norte tem área total edificada de 5.065,55 metros quadrados, contra os 4.300 m² do prédio atual, localizado na Teotônio Segurado.


Saúde Animal

Seu Pet pode ser um doador de sangue


GOTE

Suspeito de cometer crime de coação é preso pela Polícia Civil no Norte do Estado


Educação superior

Universidade Estadual prorroga inscrições para Vestibular 2020/1 até 7 de novembro


Porto Cereais

Governo do Estado avalia concessão de benefícios fiscais para empresa que exporta feijão para China e Índia


AL

Presidente da ATS deve ser convidado a prestar esclarecimentos


TJTO

“Tudo funciona melhor quando nos colocamos na posição de ouvinte”, destaca o presidente do TJ ao abrir seminário



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira