Saturday, 22 de February de 2020

GERAL


Reforma administrativa

Fim da estabilidade favorece perseguição ideológica de servidores

09 Dec 2019
Divulgação Fim da estabilidade favorece perseguição ideológica de servidores

A gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) promete muitas reformas. A da Previdência já foi aprovada. A tributária, que há décadas é tida como uma necessidade, deve entrar na pauta em breve. E, para completar o time das reformas, uma administrativa vem ganhando forma. Alguns dos pontos já divulgados merecem apreciação crítica, pois podem prejudicar o serviço público no Brasil; É o caso da possibilidade de acabar com a estabilidade para servidores.

 

Esse é, certamente, um dos pontos mais críticos da reforma administrativa. Segundo o governo, caso a reforma se torne realidade, apenas algumas carreiras terão direito à estabilidade, como fiscais de renda e diplomatas. São as carreiras que supostamente (e na visão da equipe do ministro da economia Paulo Guedes) sofrem mais pressão. Porém, na prática, todo servidor público tem chances de ser perseguido, desde o diplomata até quem trabalha no serviço público municipal. Inclusive, acredito que quanto mais na zona rural maiores são as chances. Afinal, são em lugares assim que ainda imperam coronéis da política.

 

Ao contrário do que muitos pensam, a estabilidade não é um benefício aos preguiçosos. Ela é importante para evitar que servidores públicos sejam prejudicados por questões ideológicas, principalmente quando há troca de gestão de vereadores, deputados, prefeitos e governadores. Sem a estabilidade seria muito comum, por exemplo, a demissão de servidores de gestões anteriores quando um novo grupo tomar posse. Não seriam utilizados critérios de desempenho, apenas ideológicos.

 

O servidor não ocupa o cargo para atender aos caprichos de políticos e, por essa razão, não deve ser perseguido por eles. Seu objetivo é trabalhar para o bem do Estado, não para partidos. Até porque o Estado e a população permanecem, já os partidos vêm e vão.

 

Servidores já são demitidos por crimes de corrupção, desídia e péssimo desempenho. Se o real interesse do governo é eliminar os trabalhadores que não entregam bons resultados não há razão para acabar com a estabilidade. Basta utilizar os mecanismos existentes.

 

Reformas podem ser necessárias desde que não prejudiquem o serviço público e, consequentemente, a população que depende dele.

COMPARTILHE:


Confira também:


Palmas

CarnaPraça tem programação de três dias e atrações nacionais

Por meio da Agência do Desenvolvimento do Turismo, Cultura e Economia Criativa, Governo do Estado apoia evento que tem início nesta sexta.

Segurança

Governador Carlesse viabiliza horas extras e PM e Bombeiros terão mais efetivo nas ruas

Medida visa melhorar a qualidade do serviço de Segurança Pública oferecido pela população


Assembleia

Projeto que contempla o esporte é destacado por parlamentar

A ação beneficia mais de quatro mil crianças e adolescentes com aulas gratuitas de atletismo, dança, futebol, futsal, karatê e society. O objetivo é estimular a prática esportiva e promover inclusão e cidadania.


ALETO

Assembleia aprecia emenda à MP que instituiu o Fundo Rotativo do Sistema Penitenciário

A emenda modificativa visa a adequar estrutura, termos e redação da MP 29, aperfeiçoando o texto ao regramento jurídico, impedindo o surgimento de múltiplas interpretações quando da operacionalização do Fundo Rotativo.


Tocantins

Roteiros de ecoturismo garantem lazer para quem busca opções sem folia


Mudança

Davi Goveia Junior assume presidência da ATS


Palmas

Restaurante Ermenilde entra no ritmo do Carnaval com programação musical especial para a folia


Ocorrência

Polícia Civil apreende mais de 70 quilos de maconha na região norte da Capital


Meio Ambiente

Parceria entre órgãos ambientais e chacareiros resulta em restauração de área degradada


Setas

Governo e municípios discutem políticas de assistência social no Tocantins



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira