Sunday, 15 de September de 2019

GERAL


Halitose

Mal comum conta com tratamento pouco conhecido por muita gente; Saiba mais

24 Jun 2009

Muitas pessoas sofrem com os sintomas da halitose, ou como é popularmente chamado, mau hálito. De acordo com especialistas, a halitose atinge cerca de 40% da população brasileira e 90% dos casos de halitose têm origem bucal. Dentre as causas mais comuns está a xerostomia, que seria a diminuição do fluxo salivar.

Porém, outros fatores também estão relacionados ao mau hálito, como diabetes, doença periodontal (doença na gengiva), cárie, problemas gástrico (estomago), falta de higienização bucal, infecções na cavidade oral, intestino preso, uso de alguns medicamentos (como antidepressivos, tranqüilizantes, anti-histamínicos, descongestionantes, anti-hipertensivos e agentes cardíacos) e estresse. Além disso, longos intervalos entre as refeições também podem causar mau hálito e até mesmo a ingestão de bebidas alcoólicas, alimentos com excesso de gordura animal e proteína, alho, cebola, frituras, etc., além do conhecido vilão: o fumo.

De acordo com Dr. Amilton Santos (foto), periodontista, deve haver pelo menos 60 fatores que podem estar relacionados à halitose, o que faz muitas vezes com que o paciente desista de investigar a solução devido à busca pelo agente causador ser intensa. Mas o especialista afirma que o tratamento é essencial primeiro, para identificar o problema e depois, prevenir que a doença fique mais grave.

Dr. Amilton ainda explica que o analisador pelo halimeter é um equipamento específico que identifica o tipo de substância expelida pela boca, onde a carga de compostos sulfusos voláteis (csv) é analisada.

E apesar do mau hálito ser um sinal muito comum, poucas pessoas sabem como tratá-lo. De acordo com Dr. Amilton, a halitose deve ser tratada com vários profissionais da área de saúde, ou seja, através de um tratamento multidisciplinar entre médicos, dentistas e até mesmo nutricionistas. O tratamento adequado será, no entanto, de acordo com a causa. Ele varia desde a correta higienização da língua até uma especial orientação dietética.

 

Importante

Especialistas ainda advertem que a melhor maneira de evitar a halitose é manter uma higiene bucal adequada, com o uso regular do fio dental, além da limpeza da língua. Beber líquido com freqüência e não permanecer longos períodos em jejum também ajudam na prevenção do mau hálito.

Ter mau hálito, não é normal. Normalmente, a halitose está sinalizando que algo está errado no seu organismo e precisa ser cuidado. Na presença de mau hálito consulte um especialista.

COMPARTILHE:


Confira também:


Alerta

Brasil tem 16 estados com surto ativo de sarampo; Tocantins está fora da lista

O último boletim aponta que são 24.011 casos suspeitos no país, sendo que 17.713 (73,8%) estão em investigação e 2.957 (12,3%) foram descartados.

Turismo

Ayres quer debater turismo e preservação do Jalapão em audiência pública

No requerimento, o parlamentar solicita a presença dos órgãos estaduais para que possam unir forças e atuações em prol do desenvolvimento sustentável e ambiental correto da atividade turística na região.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira