Sunday, 17 de February de 2019

GERAL


Tragedia

Museu Nacional, a tragédia como alerta

03 Sep 2018    14:14

É muito difícil falar, e até raciocinar, sob o impacto de uma tragédia. O incêndio do Museu Nacional é uma grande perda para a cultura nacional e mundial e a mostra do desleixo com que o Brasil trata o seu patrimônio histórico, artístico e cultural. Infelizmente, pouco deve ter sobrado dos 20 milhões de peças e objetos ali reunidos ao longo de dois séculos. Hoje o país chora sobre o sinistro, inclusive autoridades e figuras que poderiam ter evitado o triste fim, mas não o fizeram. As promessas de providências desfilam sob o impacto do ocorrido e, como sempre, será difícil nelas acreditar no cumprimento dentro do um Estado inchado, perdulário e sem compromisso com sua história, que muitos tentam mudar ao mais deslavado sabor ideológico.

                Independente do que vai se empreender em relação ao museu consumido pelas chamas, urge observar a existência de outros museus e de imóveis e empreendimento cujo valor histórico, artístico e cultural são oficialmente reconhecidos, ma não recebem os devidos cuidados e poderão ter destino análogo. Em São Paulo, o Museu do Ipiranga passa um extenso período de 9 anos fechado para reformas, o Museu da Palavra pegou fogo e centenas, talvez milhares, de prédios tombados por abrigar a história local, regional ou nacional, padecem por falta de investimento e política factível de manejo.

                Apagado o fogo, o Museu Nacional certamente continuará vivo através dos registros de pesquisadores e pelos meios de comunicação sobre o material ali reunido. Por justiça, também deverão integrar o acervo, os muitos alertas constantes de matérias jornalísticas, ignorados pelas autoridades, quanto à sua conservação e segurança.

                O país precisa encontrar meios de preservar e assegurar a integridade de instalações, acervos e documentação histórica. Criar políticas possíveis para a catalogação, guarda e segurança dos materiais, manutenção de prédios históricos e sua disponibilização para o conhecimento e valorização da população. Não podemos ter acervos como simples depósitos de coisas velhas, e prédios tombados apenas como ônus a seus proprietários impossibilitados de deles dispor livremente e sem condições de mantê-los como peças de contexto cultural. Em vez de programas de renúncia de receita para apoiar artistas que já são sucesso ou que não conseguem levar platéia a suas sofríveis apresentações ou, ainda, são figuras ideológicas, melhor seria que esses programas servissem para conservar e apoiar o permanentemente ameaçado e degradado patrimônio cultural.

                Que o triste episódio do Museu Nacional sirva de alerta em relação aos demais empreendimentos culturais negligenciados em todo o território brasileiro. A União, os estados e os municípios possuem muitas instalações culturais e históricas problemáticas. Acautelem-se antes que tenham de lamentar sua perda e justificar o injustificável.  

 

Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 

COMPARTILHE:


Confira também:


Imbróglio

MPE requer suspensão de contrato do serviço de estacionamento rotativo de Palmas

“Transcorridos quase dois anos após o abandono e o descaso por parte da empresa concessionária, o que se pretende, agora, é a retomada do serviço público com nova roupagem”, avalia o texto do pedido de liminar.

Norte do TO

Senadora Kátia Abreu reúne prefeitos e secretário estadual de Saúde no Bico do Papagaio

A senadora Kátia Abreu está confiante que o Governo, junto aos prefeitos irão melhorar a saúde na região do Bico e disse que o governador Mauro Carlesse deu total apoio a reunião.



Ocorrência

Polícia Civil apreende 30 kg de maconha e prende traficante no Sul do Estado

As investigações da Polícia Civil constataram que Hailton trazia, do Estado de Goiás, grandes quantidades de entorpecentes para Gurupi e região, e que, nessa madrugada, outra remessa chegaria ao Tocantins.


Meio Ambiente

Municípios têm apenas 30 dias para protocolar processo do ICMS Ecológico no Naturatins

De acordo com a legislação, anualmente, os municípios tem prazo até o dia 15 de março, para manifestar o interesse e comprovar o cumprimento das exigências, conforme disposto no Decreto nº 5.264/2015.


Diálogo

Secretários apresentam plano de reestruturação à instituições dos diferentes poderes do Estado

“O que queremos é que todas as instituições compreendam que a situação em que nos encontramos requer ações imediatas, de modo que possamos ter um estado sustentável a médio e longo prazo”, frisou Edson Cabral.


Itelvino Pisoni

Sistema Fecomércio Tocantins realiza visita a Prefeita Cinthia Ribeiro


Tocantins

Dispara número de casos prováveis de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti


HGP

Defensoria emite recomendação para Sesau por desassistência na oferta de cirurgias cardiológicas em Palmas


Adapec

Produtor rural pode emitir Guia de Trânsito Animal de qualquer localidade


Segurança

Identificação facial e papiloscópica da Polícia Civil é destaque em operações de combate à criminalidade no Tocantins


Brasília

Damaso fala da responsabilidade do cargo assumido e pede ao Governo apoio para os municípios



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira