Tuesday, 11 de December de 2018

GERAL


Trânsito

Número de vítimas fatais reduz em 20% comparado a 2015

18 Sep 2018    17:43
Divulgação Número de vítimas fatais reduz em 20% comparado a 2015

Na Semana Nacional do Trânsito, a Comissão de Gestão de Dados e Informações (CGDI) do Programa Vida no Trânsito (PVT), em Palmas, divulga que houve redução em 20% no número de mortes no perímetro urbano da Capital em 2018, se comparada aos números absolutos de vítimas fatais em 2015.

 

  

Em 2016, no ano de implantação dos radares na cidade, a redução de vítimas fatais chegou a 46%. Segundo a integrante da CGDI e agente de Trânsito e Transporte, Valéria de Oliveira, essa redução se deu principalmente com a implantação dos radares e a intensificação da fiscalização. “Para que haja mais reduções de vítimas graves e fatais, já temos estudo para renovação da fiscalização eletrônica, com novos pontos e com a previsão de que sejam feitos rodízios dos radares. Até porque, a velocidade interfere diretamente na gravidade dos acidentes, por isso, é importante que população se conscientize e respeite o limite da via e não dirija alcoolizado”, explicou ela.

 


 

A redução pode ser ainda maior segundo o PVT, chegando a 26%, se comparada à taxa de morte no trânsito para cada 100 mil habitantes, e 28% de redução na taxa de vítimas fatais para cada 10 mil veículos. Uma vez que de 2015 para 2018 houve um aumento de quase 20 mil habitantes em Palmas, e um aumento de quase 30 mil veículos nos três últimos anos.

 

 

Em Palmas, a proporção de veículo é de 0,62 para cada habitante. Ou seja, é como se cada família de quatro pessoas tivesse dois veículos por residência. Diante dessa informação, o que mais preocupa são altos índices de imprudências por parte dos condutores, comprovados no número de infrações, principalmente devido ao excesso de velocidade, considerada a primeira do ranking chegando a ter mais de 90 mil infrações registradas somente  em 2018.

 

 

O avanço de semáforo também registrou quase 10 mil infrações neste ano. “Essas condutas são muito perigosa, pois além de colocar a vida do condutor em risco, coloca de outras pessoas”, comenta Valéria de Oliveira.

 

 

Dentre as infrações manuais, feitas por agentes de Trânsito e Transporte, cometidas neste ano estão: dirigir sem cinto de segurança (infração grave, com 749 ocorrências); dirigir veículo usando calçado que não se firme (infração média, 531 mil ocorrências) e conduzir o veículo utilizando telefone celular (infração média, com 345 ocorrências).

 

  

Dados de acidentes comparativo do primeiro semestre de 2017 com 2018

 

 

No primeiro semestre deste ano foram registrados 26 vítimas fatais dentro do perímetro urbano de Palmas, enquanto que no ano passado foram 22 ainda segundo dados do Projeto Vida no Trânsito.

 

 

No primeiro semestre de 2017 as vítimas fatais foram cinco do sexo feminino e 17 homens, já em 2018 houve um crescimento de vítimas do sexo feminino, sendo nove mulheres e 17 homens. Houve também um aumento de morte no trânsito entre a faixa etária de 18 a 25 anos, sendo três em 2017 para 11 em 2018. E da faixa etária de 26 a 40 o aumento foi de nove mortes de 2017 para 12 em 2018.

 

 

Os dias da semana com o maior número de mortes em 2018 são quinta e sexta-feira, enquanto que em 2017 foram sábado e domingo. O PVT atribui esses índices de 2018 a ingestão de bebida alcoólica ainda na quarta-feira por parte do condutor, quando muitos bares promovem a chamada “dobradinha”, visto que a maioria das mortes são na madrugada de quinta-feira.

 

 

A morte no trânsito envolvendo condutores de motociclista em 2017 foram 12 e em 2018 foram 11, entretanto dobrou as mortes entre passageiros de motocicleta, saltando de dois em 2017 para quatro em 2018.

 

 

Segundo o PVT, a principal natureza dos acidentes tanto em 2017 quando em 2018 é a colisão.  E o maior principal fator de risco em 2017 foi a ingestão de álcool, enquanto que em 2018 esse fator diminui devido ao Programa Balada Segura, lançado em março deste ano, contabilizando mais de 2 mil testes de alcoolemia no primeiro semestre. O projeto é realizado de quarta a domingo de madrugada, principalmente nas saidinhas de bares e onde há maior concentração de ingestão de bebida alcoólica.

 

 

Neste ano, o fator alta velocidade é a principal causa de morte, representando 56% das mortes, e o fator álcool representou 31%. Para a coordenadora do PVT em Palmas, Marta Malheiros, os dados do projeto são feitos com base nos relatórios dos agentes de Trânsito, Samu, PM, Bombeiros, IML, Hospitais, Detran e vigilância das secretarias Municipal e Estadual de Saúde “Os dados que nos chamam a atenção é a associação de beber e dirigir e o excesso de velocidade. O comportamento e a  falta de respeito a legislação de trânsito estão muito presente nos fatores de risco”, comenta Marta.

 

 

Teotônio Segurado

 


O mapa com os locais de mortes na principal avenida de Palmas, aponta que a maioria dos acidentes aconteceram próximo ou em cruzamentos, que existem semáforos e radares. Em 2017, durante todo o ano foram sete vítimas fatais e em 2018 já são oito vítimas.

 

 

Dados de acidentes de trânsito


 

2015

Acidentes com vítimas                      2.977

Graves                                               237

Fatais                                                51 masc. 41                 fem. 10

            Motocicletas                          26

            Pedestres                              11

            Ciclistas                                 03

            Velocidade                             41%

            Álcool                                     31%

2016

Acidentes com vítimas                      2.492

Graves                                               271

Fatais                                                28 masc. 25                 fem. 3

            Motocicletas                          19

            Pedestres                              0 3

            Ciclistas                                 02

            Velocidade                             28%

            Álcool                                     35%

2017

Acidentes com vítimas                      (Os dados ainda não concluídos)

Graves                                               (Os dados ainda não estão concluídos)

Fatais                                                40 masc. 30                  fem. 10

            Motocicletas                          31

            Pedestres                              01

            Ciclistas                                 01

            Velocidade                             22,5%

            Álcool                                     35%

2018

Acidentes com vítimas                      (Os dados ainda não concluídos)

Graves                                               (Os dados ainda não estão concluídos)

Fatais                                                41 (17/09/2018) masc. 29   fem. 12

            Motocicletas                           20

            Pedestres                              04

            Ciclistas                                 0 2

            Velocidade                             56%

            Álcool                                     31%

 (Ascom/Inez Freitas) 

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

20

PARABÉNS!
PARABÉNS!

22

BOM
BOM

23

AMEI!
AMEI!

23

KKKK
KKKK

23

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

35

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

20

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

palmas transito vitimas

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


Cantata de Natal

Primeira noite da Cantata Encanto do Natal emociona com clássicos natalinos

Vice-governador Wanderlei Barbosa abriu o evento no Palácio Araguaia

Requerida pelo MPE

Liminar determina retorno às funções de delegados regionais e servidoras afastados pelo governo no caso Araguaína

Toda a argumentação e os fatos apresentados pelo Ministério Público Estadual foram integralmente acatados pelo juiz Manuel de Faria Reis Neto, que expediu a liminar.




  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira