Tuesday, 19 de February de 2019

GERAL


O Brasil vai bem, obrigado

03 Jun 2008

A cotação Brasil está muito alta, leitor. Quem mora fora do país, como eu, talvez perceba isso com mais facilidade. Diria um cínico: de longe, tudo parece melhor. Mas a verdade é que a imagem do país no exterior é bem melhor do que a imagem que o próprio brasileiro tem do país (e, no fundo, de si mesmo). O brasileiro, volto a dizer, continua a sofrer do velho "complexo de vira-lata" (Nelson Rodrigues).

A economia brasileira colhe elogios cada vez mais enfáticos -do FMI, de outros governos, das agências de classificação de risco, da grande imprensa internacional. Nas semanas recentes, a revista "The Economist", o "Wall Street Journal", o "Guardian", para citar apenas alguns exemplos, derramaram-se em considerações e previsões otimistas -e até entusiasmadas- sobre o país. "O país do futuro está finalmente chegando" foi a manchete do "Guardian" de sábado. Lá no céu, repousando sobre uma nuvem de algodão cor-de-rosa, Stefan Zweig sorriu satisfeito.

Dá até para desconfiar. Não raro, países emergentes muito elogiados acabam entrando por um cano deslumbrante. O México era cantado em prosa e verso antes da crise de 1994.

O mesmo se pode dizer dos países do Sudeste Asiático antes da crise de 1997. Ou da Argentina, antes da crise de 1998-2002.

Digito esse parágrafo e paro, aterrado. Acho que tive um súbito acesso do complexo de vira-lata. Não há brasileiro, por mais patriota, que escape inteiramente dessa sina.

Mas, enfim, eis o que eu queria dizer: o sucesso alimenta a complacência e pode ser fonte de futuros fracassos. É uma platitude, claro. Mas o óbvio precisa ser repetido, especialmente em momentos de sucesso.

Não quero de modo nenhum atrapalhar a comemoração, que é merecida, mas gostaria de levantar um problema (não tenho espaço para mais de um).

Um dos nossos pontos fracos, talvez o calcanhar-de-aquiles da política econômica brasileira, é a sobrevalorização do real. De certa maneira, é o lado problemático do sucesso -a força da moeda brasileira reflete a percepção favorável sobre a situação e as perspectivas da economia do país. Mas ela reflete, também, o elevado diferencial entre os juros brasileiros e os do resto do mundo.

Nos últimos 12 meses, o real se valorizou mais em relação ao dólar do que quase todas as principais moedas do mundo -mais do que o euro, mais do que o iene, mais do que o dólar canadense, mais do que o dólar australiano, mais do que o franco suíço.

Essa valorização do real, combinada com a expansão da demanda interna, está produzindo um estrago considerável no nosso balanço de pagamentos. As importações estão crescendo em ritmo muito superior ao das exportações. A queda do superávit comercial é rápida. As despesas com serviços e rendas (turismo e remessas de lucros, por exemplo) vêm aumentando continuamente.

Em conseqüência, o resultado em conta corrente sofreu deterioração muito mais rápida do que o esperado. No acumulado em 12 meses até março, a conta corrente já acusa um déficit de US$ 9,5 bilhões.

Não há risco visível de crise a curto ou médio prazos. As entradas de investimento direto, uma modalidade mais estável de capital externo, superam por larga margem o déficit em conta corrente. As reservas alcançam quase US$ 200 bilhões.

Além disso, o governo parece consciente do problema. É o que se pode depreender das decisões dos últimos dias - o lançamento da Política de Desenvolvimento Produtivo e do Fundo Soberano do Brasil.

COMPARTILHE:


Confira também:


Operação Fantoche

PF prende presidente da CNI, Robson Andrade

Investigação mira convênios de unidades do Sistema S

Exonerações Suspensas

Justiça atende DPE e MPE e suspende ato do governo que exonerou profissionais da saúde

Efeitos do ato declaratório nº 01/2019 estão suspensos. Defensoria Pública e MPE expuseram na ação civil pública que o Ato ainda gera graves consequências na desassistência da saúde pública.



Contratos Temporários

Prefeitura de Palmas abre edital para contratação de 34 servidores temporários

O processo seletivo simplificado será composto por três etapas de caráter eliminatório e classificatório, sendo análise curricular, comprovação de experiência profissional, avaliação de títulos e entrevista.


Ponte de Porto

Defensoria e OAB vão integrar comissão que trata sobre interdição da ponte de Porto Nacional

Audiência, realizada na sexta-feira, 15, debateu os principais impactos gerados com a interdição


Ocorrência

Polícia Civil apreende 30 kg de maconha e prende traficante no Sul do Estado

As investigações da Polícia Civil constataram que Hailton trazia, do Estado de Goiás, grandes quantidades de entorpecentes para Gurupi e região, e que, nessa madrugada, outra remessa chegaria ao Tocantins.


Meio Ambiente

Municípios têm apenas 30 dias para protocolar processo do ICMS Ecológico no Naturatins


Diálogo

Secretários apresentam plano de reestruturação à instituições dos diferentes poderes do Estado


Itelvino Pisoni

Sistema Fecomércio Tocantins realiza visita a Prefeita Cinthia Ribeiro


Tocantins

Dispara número de casos prováveis de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti


HGP

Defensoria emite recomendação para Sesau por desassistência na oferta de cirurgias cardiológicas em Palmas


Adapec

Produtor rural pode emitir Guia de Trânsito Animal de qualquer localidade



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira