Sunday, 15 de September de 2019

GERAL


Operação Monster

PF investiga organização criminosa responsável por comercialização de moeda falsa em redes sociais

10 Sep 2019    09:50
Arquivo Agência Brasil PF investiga organização criminosa responsável por comercialização de moeda falsa em redes sociais

A Polícia Federal deflagrou nessa manhã (10) a Operação Monster, visando desarticular grupo criminoso responsável por colocar em circulação moeda falsa mediante uso de redes sociais. Aproximadamente 15 Policiais Federais cumprem três Mandados Judiciais de Busca e Apreensão e um Mandado de Prisão Preventiva expedidos pela 4ª Vara Federal de Palmas, todos na cidade de Palmas/TO. A investigação teve início após prisões em flagrante de pessoas envolvidas com repasse de moeda falsa na capital em setembro de 2018. Segundo as diligências efetuadas em decorrência dos flagrantes, observou-se que o grupo criminoso comercializava as cédulas falsas em grupos de whatsapps e Facebook. As “encomendas” do dinheiro falso eram postadas no grupo e, após o envio do comprovante de pagamento, os criminosos postavam as cédulas junto aos Correios. Os investigados devem responder pelo crime de circulação de moeda falsa, cuja pena pode chegar a doze anos de reclusão. O nome da operação faz alusão ao codinome utilizado por um dos integrantes da quadrilha em redes sociais.

COMPARTILHE:


Confira também:


Alerta

Brasil tem 16 estados com surto ativo de sarampo; Tocantins está fora da lista

O último boletim aponta que são 24.011 casos suspeitos no país, sendo que 17.713 (73,8%) estão em investigação e 2.957 (12,3%) foram descartados.

Turismo

Ayres quer debater turismo e preservação do Jalapão em audiência pública

No requerimento, o parlamentar solicita a presença dos órgãos estaduais para que possam unir forças e atuações em prol do desenvolvimento sustentável e ambiental correto da atividade turística na região.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira