Saturday, 19 de October de 2019

GERAL


Plantas medicinais em segundo plano para os índios Xerente

03 Feb 2010

O processo de mudança cultural está transformando os costumes dos índios nas aldeias Xerente. Os remédios tradicionais é um dos elementos da tradição que esta ameaçada pelos remédios produzidos na indústria farmacêutica. Plantas medicinais já não são mais o forte desta etnia.

Existe ainda nesta comunidade, curandeiros e pajés com sabedorias e conhecimentos, capaz de curar sem qualquer custo, vários tipos de doenças utilizando somente os recursos naturais. Um simples chá da casca de angico pode eliminar a diarréia e a pneumonia. O sumo da folha de araçá resolve o problema da tosse e a febre. Mesmo com tantos recursos, a grande maioria dos índios Xerente preferem buscar tratamento com médicos formados nas universidades, que receitam remédios à base de produtos químicos. Essa preferência caracteriza a falta de credibilidade dos índios com os próprios parentes que mantém sua tradição na comunidade. Das experiências que adquiriram de outras gerações.

As opiniões se dividem entre os Xerente consumidores de remédios da farmácia e os conservadores (pajés e curandeiros). Estão sempre em conflitos quando o assunto é `qual o melhor remédio?`. No ponto de vista do Valci Sumekwa Xerente, 31 anos, da Aldeia Kripre, estudante universitário de Engenharia Ambiental, na Universidade Federal do Tocantins, a preferência é do remédio da farmácia. “Eu prefiro tomar remédio que tem comprovação científica, porque vai garantir a minha saúde e não um chá de uma planta que nunca foi comprovado cientificamente” disse. O Antônio Dawasi Xerente, 46 anos, pajé da Aldeia Salto, não concorda que a comunidade fica tão dependente de remédios convencionais. “Já curei muitas doenças com remédios que eu faço, sem precisar de consulta ou receita médica” afirma o Dawasi.

Uma febre ou gripe de uma criança que é tão simples de cuidar, os pais muitas vezes deixam de procurar o curandeiro da aldeia. E quando piora, leva seu filho para consultar com um médico. Isso é lamentável, porque é um povo rico em conhecimento e estão deixando de usar o que é mais sagrado da sua cultura. É preciso preservar essa tradição para não perder a identidade de ser índio. 

COMPARTILHE:


Confira também:


Proteção de Indígenas

MPF/TO recomenda providências para proteção de indígenas isolados avistados na Ilha do Bananal

A população avistada provavelmente é do povo Avá-Canoeiro, também conhecido regionalmente como “Cara Preta”.

AL

Presidente da ATS deve ser convidado a prestar esclarecimentos

Os deputados querem esclarecimentos sobre o pagamento dos serviços prestados ao Governo do Estado há mais de um ano. Na tentativa de sensibilizar a população, os manifestantes colocaram carros-pipa à frente da sede do Legislativo e também faixas com pedido


TJTO

“Tudo funciona melhor quando nos colocamos na posição de ouvinte”, destaca o presidente do TJ ao abrir seminário

O presidente do TJTO, desembargador Helvécio Maia, ressaltou que todas as ações do Poder Judiciário vêm sendo pautadas no diálogo com a sociedade e com todos os atores que compõem o Sistema de Justiça.


IEES

Semana de fisioterapia do HGP destaca avanços e atualiza profissionais

O evento acontece no Instituto de Excelência em Educação e Saúde (IEES), em Palmas e reúne profissionais de diversas áreas.


IFTO

Elenil apoia projeto do IFTO que vai levar cursos técnicos aos 139 municípios do Tocantins


Polícia Civil

Suspeito de aplicar golpes pela internet é preso pela Polícia Civil em Xambioá


Refis 2019

Refis 2019 negocia cerca de R$ 48 mi em quatro dias; negociações se encerram neste domingo, 20


Coca-Cola

Com conceito “Juntos a Magia Acontece”, Coca-Cola dá Início à Campanha de Natal 2019


Interior

Polícia Civil desarticula ponto de venda de drogas e prende dois traficantes em Itacajá


Agropecuária

Controle de comercialização de vacinas em lojas agropecuárias passa a ser informatizado



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira