Thursday, 18 de July de 2019

GERAL


Arquitetura

Prática irregular de recebimento de comissões por arquitetos é tema de debate promovido pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Tocantins

04 Sep 2018    22:41

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/TO) levou na noite desta segunda-feira, 3, para o auditório do Sebrae, a oficina Ética na Arquitetura. Com a participação de arquitetos, acadêmicos e conselheiros do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), o evento teve como objetivo fomentar o debate acerca das condutas éticas e da prática conhecida como Reserva Técnica (RT).

A RT se caracteriza pelo recebimento de comissão por parte do arquiteto, seja na forma de dinheiro ou benefícios, como viagens, para que ele indique determinada loja ou produto. Foi explorando esse aspecto que o presidente do CAU/PR, Ronaldo Duschenes, iniciou a noite com a palestra Ética na Arquitetura. De acordo com Duschenes, as questões morais que regem a vida como um todo vão mudando ao longo do tempo e acabam por chegar à vida profissional e conduzir algumas práticas. “Se aprendêssemos a ser éticos desde pequenos seria ótimo, mas nem sempre é assim. Existem alguns comportamentos de arquitetos que se assemelham a atos de corrupção, uma vez que são atos escondidos, não declarados. E eu vejo que a tendência nos últimos anos é que esse tipo de comportamento só aumente, uma vez que o número de profissionais vem crescendo e, com isso, a disputa no mercado vai ficando mais acirrada, fazendo com que eles passem a aceitar comportamentos antiéticos”, concluiu.

Para o Coordenador da Comissão de Ética e Disciplina do CAU/BR, Guivaldo D’alexandria, a atitude ética é um atitude individual e, por isso, mais subjetiva. “O indivíduo, conhecendo as normativas que regulam a profissão, deve agir de acordo com a sua decisão. Não é um ato impositivo, e o CAU/BR legisla a partir das necessidades para que se estabeleça um bom convívio, cabendo ao profissional a decisão de seguir ou não. Mas na essência o que deve acontecer é o profissional perceber que ele está a serviço da sociedade, devendo emprestar a ela o seu conhecimento através da prestação de um serviço de competência técnica, com atitudes que sejam as melhores para todos”, pontuou.

De acordo com o presidente do CAU/TO, Silenio Camargo, o evento foi promovido pensando também na ampliação do debate junto aos futuros profissionais e aos clientes desses arquitetos. “Essa discussão é uma discussão nacional e nós temos que alinhar os pensamentos e as diretrizes para sabermos como lidar com o problema, que é a falta de ética”, ressaltou. Ainda segundo o presidente, o conselho do Tocantins não recebeu nenhuma denúncia recente desse tipo de prática, mas, mesmo assim, o debate foi realizado para que esse comportamento não vire uma cultura. “Nós queremos conscientizar tanto os arquitetos quanto os lojistas para que essa prática não venha a se tornar uma cultura, e que os arquitetos possam competir de igual para igual, considerando que quem deve remunerar o arquiteto é o seu cliente e não o fornecedor”, finalizou.  

 

Aprofundamento

O CAU/BR tem promovido, em parceria com os conselhos regionais, debates sobre o tema nos mais diversos estados. Na tarde desta segunda-feira, 3, as comissões de ética do CAU/BR e do CAU/TO debateram o assunto de maneira mais profunda com representantes do Núcleo Tocantinense de Decoração, da Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção e do Ministério Público Estadual. Os debates continuam nesta terça e quarta-feira, sendo fechadas para o público.

COMPARTILHE:


Confira também:


Alphaville

MPTO atua e empresas são obrigadas a adequar sistema de iluminação de condomínio de Palmas

A sentença que estipula a adequação no sistema de iluminação do condomínio foi proferida pelo juiz Pedro Nelson de Miranda Coutinho, da 3ª Vara Cível de Palmas.

IML

Em apenas 5h, peritos do IML do Tocantins identificam cadáver carbonizado pela arcada dentária

Procedimento realizado na capital identificou corpo de vítima de incêndio na região Sudeste do Tocantins a partir do confronto entre arcada dentária e prontuário odontológico.


TJTO

Juíza determina que o Estado e o município de Palmeirópolis forneçam, em 10 dias, remédio contra hanseníase a paciente

O descumprimento da sentença acarretará em multa diária de R$ 1mil (individualizada em R$ 500,00 para cada uma das partes requeridas - Estado e o Município) e limitada a R$ 30mil


Formação

Unitins traz Viviane Mosé para evento de qualificação de professores

Professora há mais de 30 anos, a palestrante é reconhecida nacionalmente pela atuação na área educacional


Luto

Morre a Auditora Fiscal Elizabeth Leda, aos 73 anos


Norte do TO

Polícia Civil prende mais um suspeito de participar de homicídio de adolescente em Araguaína


Cidades criativas

Quatro cidades do Brasil concorrem a títulos na Unesco


Grupo Record

Portal R7 ganha novas cores em ação dia e noite da Benegrip


Tocantins

Grupos de Ajuda Mútua dão apoio a dependentes químicos e familiares durante e após recuperação


Reforma

Damaso vota por regra de transição diferenciada para professores e policiais



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira