Thursday, 21 de February de 2019

OPINIÃO


Ponto de vista

A CF/88 é um marco para a efetivação dos direitos e deveres do cidadão

05 Oct 2018    13:09    alterado em 05/10 às 13:09
A CF/88 é um marco para a efetivação dos direitos e deveres do cidadão

Por Thaís Almeida de Aguiar, graduada em Direito pela Faculdade Católica do Tocantins.

A Constituição da República Federativa do Brasil foi promulgada em 05 de outubro de 1988, completando 30 anos de vigência neste ano de 2018. Sua edição foi um grande passo para a efetivação dos direitos e deveres individuais e coletivos, uma vez que prevê em seu bojo uma gama de garantias para a fiel concretização do fundamento da dignidade humana.

Suas palavras revelam o caráter democrático do Estado Brasileiro, demonstrando que a finalidade das ações estatais é sempre o bem comum. O Preâmbulo da Carta Magna não possui caráter normativo – vez que não institui deveres e direitos - constituindo-se em uma evidenciação de princípios norteadores para a redação do texto constitucional, assim tem como escopo assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça.

Os artigos iniciais trazem os fundamentos do país, seus objetivos fundamentais e os princípios que regulam as relações internacionais, da leitura destas normas conclui-se que o Brasil tem o objetivo de assegurar a todos os cidadãos uma vida digna, justa, livre e igualitária, estipulando diretrizes a serem seguidas por todos aqueles que governaram o país.

Em sequencia têm-se os direitos e garantias fundamentais, é aqui que se encontram a maioria dos direitos e deveres assegurados pela Carta Maior, em seu artigo 5º é dito que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo aos brasileiros e estrangeiros residentes no país a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, corroboram com estes dizeres os direitos sociais previstos, além do direito à nacionalidade e os direitos políticos.

A previsão destes direitos e deveres existe para a concretização do fundamento da dignidade humana. Este fundamento tem sua importância revelada em decisões judiciais, na edição de novas leis e no trato com as pessoas em geral, uma vez que aponta que todos os seres humanos possuem uma mesma origem e são de igual maneira detentores de direitos e deveres, todos com o intuito de assegurar uma vida em sociedade com qualidade e respeito.

O respeito entre os semelhantes deve sempre nortear a vida em sociedade, pois claramente existem opiniões e hábitos diferentes, devendo o direito de expressão ser assegurando, sem ferir o direito e a honra do outro. A igualdade entre os seres humanos é uma norma natural, não necessita de uma lei formal para a sua regulamentação, uma vez que é notório que todos são iguais, não só perante a lei, mas na aquisição de direitos e deveres, na obtenção do respeito nas relações sociais.

A Constituição Federal de 1988 não se limita a estipular de direitos e deveres, princípios e normas, mas traz também a organização do Estado, dos Poderes, sobre a Defesa do Estado e das Instituições Democráticas, da Tributação e do Orçamento, da Ordem Econômica e Financeira e da Ordem Social, assim tem-se que o legislador cuidou de prever normas gerais para a formação do Brasil, que se consolidou como um Estado Democrático de Direito.

Visto isto, a Constituição Federal do Brasil de 1988 é um marco para a concretização dos direitos individuais e coletivos, pugnando pela dignidade humana, trazendo o respeito e a igualdade como norteador da ação estatal, objetivando a garantia de um Estado comandado por um povo que possui direitos sociais, visando a uma existência proba. Deve-se valorizar a Carta Magna, exigindo seu fiel cumprimento nas relações sociais, e nas internacionais, com a consciência de que não apenas os detentores de cargos políticos devem atuar com honestidade, mas também todo o povo que compõe o Estado Brasil.

COMPARTILHE:


Confira também:

Crônica
O TEMPO

Fórum de Governadores

Governador Carlesse passa a integrar grupos de trabalho para avaliar previdência e recuperação dos Estados

Acompanharam o governador Mauro Carlesse, o secretário da Casa Civil, Rolf Vidal; o secretário da Infraestrutura, Cidades e Habitação, Renato de Assunção; o secretário da Fazenda e Planejamento, Sandro Henrique Armando e o secretário-executivo de Planejame

Opções no Tocantins

Programe-se: 5 opções para curtir o carnaval no Tocantins

Em Araguatins, o carnaval será realizado por uma empresa privada entre os dias 1º e 5 de março. A agitação dos cinco dias ficará por conta de bandas locais e do cenário nacional. A estrutura contará com camarotes e vendas de abadás.


Atuação

Prof. Júnior Geo solicita medidas para a população em virtude da interdição da ponte de Porto Nacional

Durante a conversa, o parlamentar destacou que esteve em audiência pública na última sexta-feira, 15, realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil


Palmas

Joseph Madeira toma posse na Acipa e assume compromisso com o fortalecimento da entidade

Ainda na solenidade, o presidente da Acipa, Joseph Madeira, recebeu das mãos do representante do deputado estadual Eduardo Siqueira Campos a propositura do título de cidadão tocantinense.


AL

Deputado Jair Farias destaca projetos de industrialização e geração de empregos como prioridades para desenvolver o Estado


Campo

Paulo Carneiro recebe em seu gabinete o presidente da APROSOJA Tocantins


Região Central

Presidente da Adetuc e prefeito de Porto Nacional discutem projetos para a temporada de praia 2019


Região Central

Município de Guaraí recebe entretenimento com foco na preservação do meio ambiente


Contratos Temporários

Prefeitura de Palmas abre edital para contratação de 34 servidores temporários


Ponte de Porto

Defensoria e OAB vão integrar comissão que trata sobre interdição da ponte de Porto Nacional



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira