Wednesday, 21 de November de 2018

OPINIÃO


Carandiru

A difícil conclusão do Carandiru

30 Jan 2017

Há um quarto de século, a justiça paulista se debate para concluir o processo do chamado "Massacre do Carandiru", o episódio em que a Polícia Militar, seguindo ordens do Judiciário e do Executivo, entrou no presídio rebelado e, mesmo estando no cumprimento do dever legal, os policiais foram duramente acusados pela morte de 111 detentos. O ocorrido serviu para sustentar a campanha dos contumazes e oportunistas inimigos da instituição policial e sustentou a demagogia do próprio governo, que em vez de revitalizar o presídio, optou pela sua  demolição, agravando ainda mais a falta de vagas no sistema. Políticos se elegeram e sustentaram suas plataformas de atuação discutindo aquele acontecimento, que também serviu de argumento para livros filmes e outras obras.

Levados a júri popular, policiais restaram condenados a penas fantasiosas, como a do coronel Ubiratan Guimarães, comandante da tropa, apenado com 623 anos e depois absolvido pelo Tribunal de Justiça do Estado, em razão do seu foro privilegiado, pois naquela época já era deputado estadual. Os demais integrantes da tropa viveram todos esses anos à espera da decisão judicial. Suas condenações no Juri foram anuladas porque a aplicação da pena não individualizou a participação de cada um, uma tarefa difícil, pois num tumulto como aquele não há como saber quem atirou e, inclusive, determinar categoricamente se as vítimas ou parte delas pereceram por ação dos rebelados ou por choque com a força policial.

O dito "massacre" continua gerando discussão entre operadores do Direito, defensores dos direitos humanos e outros interessados no proselitismo, a maioria deles disposta a condenar os policiais. Como o caso foi levado a juri, sempre há o risco da pena ser resultado mais do estado emocional das sessões que da razão contida nos autos. E os profissionais transformados em réus vivem o sobressalto da pendência judicial que, se resultar em condenação elevada, poderá custar o seu emprego ou até sua aposentadoria. E o pior é que do episódio não se procurou tirar nenhuma lição que pudesse melhorar o sistema penitenciário, hoje conflagrado em todo o país.

O conjunto da obra serviu, apenas, para os estados se tornarem mais cautelosos ao mandar suas tropas invadirem presídios em rebelião. Isso é o que se tem visto Brasil afora. Mas, se por um lado evita o confronto policial, a autoridade estatal deixa de cumprir o seu dever legal de proteção ao encarcerado que, num levante, é feito refém e muitas vezes perde a vida sem que ninguém vá em seu socorro...
 
*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 
aspomilpm@terra.com.br                                                                                                      

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

15

PARABÉNS!
PARABÉNS!

10

BOM
BOM

10

AMEI!
AMEI!

10

KKKK
KKKK

10

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

6

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

6

CREDO!
CREDO!

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:

Liberdade de Imprensa
FENAJ emite nota oficial

Reabilitação

Governo entrega equipamentos a pacientes do CER de Palmas

Os equipamentos foram adquiridos este ano, com um investimento de quase R$ 3 milhões

Entrega de Moradias

Mauro Carlesse e ministro das Cidades entregam apartamentos do Residencial Parque da Praia

A iniciativa faz parte da política habitacional do Governo do Estado e conta com o recurso do governo federal, por meio do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS).



Investigações MPE

MPE movimenta 108 mil processos judiciais, 35 mil inquéritos policiais e instaura 7 mil procedimentos investigativos em 2017

Também é mostrado que o Ministério Público do Tocantins possuía 121 cargos de membros providos em 2017, o que corresponde a 8,7 membros para cada grupo de 100 mil habitantes.


Municípios

Promessas de maio da Presidência da República e do Congresso são cobradas por prefeitos

Liderados pela ATM, prefeitos do Tocantins estão na capital Federal para cobrar Encontro de Contas previdenciárias, UPAS, Nova Lei de Licitações, Royalties de Petróleo, entre outras demandas


Conscientização

Semana da Consciência Negra promovida pela Seciju iniciou com panfletagem e palestra no IFTO

A programação da Semana da Consciência Negra segue com mais ações de panfletagem em vários pontos da Capital.


Energisa

Ação de Segurança com a comunidade leva informação para crianças e adolescentes


Crise e Renuncia

Deputado Estadual Olyntho Neto comunica afastamento como líder do governo na AL


Porto

Solidariedade, promessa de concurso e aula marcam evento em Porto Nacional


Tocantins

Educação e SBH certificam vencedores do concurso de vídeos Todos Contra a Hanseníase


Sul de Palmas

Famílias na região da Capadócia recebem alimentos em ação de solidariedade


saúde

Governador do Tocantins entrega mais de 250 mil reais para que pesquisadores possam desenvolver pesquisas para o SUS



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira