Friday, 18 de October de 2019

OPINIÃO


Ação penal 470 e populismo

07 Aug 2012

ROGER SPODE BRUTTI*

 

O primeiro e mais polêmico ponto de discórdia no julgamento da Ação Penal número 470 a cargo do Supremo Tribunal Federal (STF) foi o voto do Ministro Revisor Ricardo Lewandowski onde se pretendia o desmembramento do processo, a fim de que a maioria dos réus não mais fossem julgados pelo STF. O Ministro Joaquim Barbosa, por seu turno, acusou Lewandowski de agir com deslealdade ao arguir a aludida questão de ordem, já que o assunto haveria sido suficientemente debatido entre os ministros anteriormente. Barbosa, em assim se manifestando, desrespeitou o sagrado direito de opinião do seu colega de toga. Hábil e suficiente seria tão-somente votar contra, como fez a maioria dos demais ministros.

Ocorre que, a despeito de a questão de ordem suso ser indigesta e um tanto desnecessária, à luz do intento da Nação em ver o coloquial “mensalão” julgado de uma vez por todas, não há como se obscurecer a opinião, o ponto de vista e o entendimento alheios acerca de assuntos tão polêmicos, quanto mais em relação à temática de tamanha importância.

Veja-se: não seria pacífico a todo e qualquer jurista que, em se tratando de matéria de ordem pública, qual seja, a competência de um órgão judicante, é consenso na doutrina e na jusrisprudência que ela pode ser arguida, analisada e reexaminada a qualquer tempo, porquanto a decisão prolatada por um órgão incompetente acarreta nulidade absoluta?

O intuito de Lewandowski, posto isso, foi o de evitar que, tecnicamente, o STF concedesse doravante azo a banalizações sobre a sua competência, diante de situações análogas. Mesmo que se reconheça que a vontade popular anda no sentido de que o julgamento ocorra o quanto antes e que episódios, em tese ilícitos tais, sofram reprimenda exemplar, não há como não se reconhecer que o STF está sim, ao menos em tese, sendo compelido a julgar e a condenar os réus do “mensalão”, para não reste com saia justa diante da opinião popular.

Posto isso e diante do panorama que se formou, não há como, ao menos, deixar-se de respeitar a opinião de Lewandowski e reconhecer que ele, juntamente com o ministro Marco Aurélio, a par de impressões leigas e apressadas sobre suas posturas, foram, na verdade, juristas autênticos em não temer pelas suas opiniões, palavras e votos, ao contrário, e não se faz aqui referência aos demais e dignos ministros do STF, daquelas recorrentes figuras públicas oportunistas que, assim como os políticos populistas, sempre fundaram seus discursos no aliciamento das classes sociais de menor aptidão crítica.

* Delegado de Polícia Civil, lotado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Tramandaí/RS
 

COMPARTILHE:


Confira também:


Divisa de Estados

Governadores Mauro Carlesse e Mauro Mendes destacam aspectos positivos da rodovia Transbananal

Trecho em questão tem cerca de 90 km e corta a Ilha do Bananal, de Formoso do Araguaia (TO) a São Felix (MT).

Saúde

Opera Tocantins realiza quase 70 cirurgias em 10 dias e espera fechar outubro com mais de 150

As cirurgias acontecem em diversas Unidades Hospitalares do Tocantins sempre em horários diferenciado, fora da carga horária ordinária, como sábados, domingos, feriados, dias de ponto facultativo e ou em período noturno/madrugada.




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira