Sunday, 21 de July de 2019

OPINIÃO


Política

As senadoras e o crime de lesa-democracia

12 Jul 2017

O Senado Federal foi palco de inadmissíveis cenas circenses na tarde da terça-feira. Não tendo como enfrentar no voto o projeto da reforma trabalhista, as senadoras Fátima Bezerra (PT-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Regina souza (PT-PI), Vanessa Grazziotin (PT do B-AM), Lídice da Mata (PSB-BA) e Kátia Abreu (PMDB-TO) que no ano passado bateram-se infrutiferamente contra o impeachment de Dilma Rousseff, tomaram de assalto a mesa. O irresponsável ato guarda similaridade com uma ocupação militar ou paramiliar e constitui afronta à democracia. Queiram ou não, a mesa do Senado é um dos altares do regime democrático e não pode ser banalizada como foi. O presidente Eunicio de Oliveira cortou o som e apagou as luzes mas, mesmo assim, as rebeladas ali permaneceram até as 16 horas. Almoçaram e conversaram como se estivessem num piquenique, diante de incrédulos outros 76 senadores, que nunca haviam visto algo do gênero nos quase 200 anos de Senado.

Além de parar o som e apagar as luzes, o titubeante Eunício deveria ter empregado o seu poder de polícia e dado voz de prisão em flagrante às desordeiras. O instituto da imunidade diz que o parlamentar só pode ser preso em flagrante de delito. Sem dúvida, esse era o caso. Além de impedir o funcionamento da casa, as errantes estavam inaugurando uma forma de atuação que, se não coibida eficazmente, provocará insegurança jurídica e impedirá o normal funcionamento do Poder Legislativo. Se ficarem impunes, isso se tornará uma espécie de jurisprudência e integrantes da Câmara dos Deputados, Assembleias Estaduais e Câmaras Municipais estarão livres para fazer o mesmo. Em vez de democracia prevalecerá a truculência dos perdedores.

A obstrução pela força é inaceitável. O cerne do parlamento é a troca de idéias e a busca de soluções pelo consenso onde, ao final, a maioria vence e a minoria vencida se submete. Qualquer procedimento em contrário é indevido e pode até ser crime. Agora se espera que o Conselho de Ética tenha discernimento e independência para aplicar as devidas punições às faltosas, já denunciadas por quebra do decoro parlamentar. É o mínimo que os senadores-conselheiros poderão fazer para a preservação da dignidade e da independência do Senado Federal.

Foram muitas as manifestações de repúdio ao estúpido comportamento das rebeladas. O senador Magno Malta (PR-ES) foi enfático: "Quem fala em democracia, não pode assumir um comportamento ditador de que nós tomamos, não vai votar, porque nós tomamos o plenário". Criticou o ativismo das senadoras, lembrando-as que Temer era vice de Dilma. Citou ainda que os 14 milhões de desempregados de hoje não são obra de Temer, mas também de seus antecessores e finalizou, destacando que a oposição de hoje nada fez quando, nos governos petistas, viram "escoar o dinheiro pelos dedos do BNDES para pagar divida de ditador na África, para criar um monstro chamado JBS e deixar de gerar empregos porque o dinheiro foi entregue à Odebrecht".

Na verdade, o Senado viveu sua terça-feira negra. Pela saúde da democracia, as rebeladas não podem restar impunes para evitar que esse crime contra a democracia se espalhe por todo o país. 
  
*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 

COMPARTILHE:


Confira também:


Cuiabá

Em encontro com o ministro Dias Tofolli, presidente do TJTO defende autonomia dos Tribunais para aprovar projetos de interesse do Judiciário estadual

Do encontro convocado pelo ministro Dias Toffoli e no qual ele franqueou a palavra a todos os presidentes dos tribunais, saiu a Carta de Cuiabá

Estacionamento Rotativo

Tribunal de Justiça reconhece competência do TCE para emitir cautelar durante julgamento sobre o Estacionamento Rotativo de Palmas

O relator do processo, desembargador Ronaldo Eurípedes, apresentou seu voto no último dia 27 de junho negando o pedido da empresa com fundamento. no posicionamento do Supremo Tribunal Federal (STF)



Seciju

Ações contra violações de direitos são realizadas em praias do estado

Equipes técnicas da Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju) participaram de reuniões para fortalecimento da Rede de Proteção e realizaram ações de sensibilização nas praias de Porto Nacional e Pedro Afonso e fortaleceram a Rede de Proteção.


PM

Ação conjunta da Polícia Civil do Tocantins e da Polícia Militar de Goiás resulta na prisão de homicida foragido de Araguaína

Ele é suspeito de ser o autor de pelo menos dois homicídios praticados, em Araguaína, nos anos de 2018 e 2019 e foi capturado, mediante cumprimento a mandados de prisão preventiva, oriundos da 1° Vara Criminal da Comarca de Araguaína.


Regularização

Governo inova em gestão e abre portas do Instituto de Terras do Tocantins para estágio em 2019

O Instituto de Terras do Tocantins vem trabalhando com responsabilidade e eficácia para contribuir a cada dia com o desenvolvimento do Estado.


CPPA

Suspeito de cometer homicídio em 2015 é preso pela Polícia Civil em Araguaína


Premiação

EDP, controladora da Investco e da Enerpeixe no Tocantins, está entre as 15 marcas mais valiosas no mundo


Resgate

Paciente em estado grave é transportado de Miracema para Palmas pelas equipes do CIOPAER e SAMU


TV

Gastronomia alemã é o próximo desafio do MasterChef


Encceja

100% das unidades prisionais e socioeducativos realizarão o Encceja PPL 2019


Turismo

Adetuc projeta aumento de turistas e movimentação de mais de R$ 118 milhões na Temporada de Praias 2019



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira