Saturday, 16 de February de 2019

OPINIÃO


Militares

Governo e militares, o melhor é a pacificação

15 Feb 2017

Depois dos discursos ofensivos aos policiais, as autoridades capixabas partem  para a aplicação dos rigores da lei. O Diário Oficial circulou com o indiciamento dos supostos participantes da greve e agora se anuncia a investigação sobre a possibilidade de haverem militares envolvidos nos crimes ocorridos no estado durante os dias de aquartelamento. É um direito do governo verificar as possibilidades, mas é ruim lançar suposições antes da certeza ou de claras evidências sobre o cometimento das faltas ou crimes. Esse mesmo rigor que o governo estadual e seus apoiadores federais hoje demonstram no cumprimento das leis deveria também ter sido observado no cumprimento patronal dos direitos da classe a coisas básicas como, por exemplo, a reposição inflacionária anual dos salários, prevista no artigo 37 X da Constituição Federa l.

É temerário atribuir aos militares a realização de greve ou classificar o seu comportamento como motim. Eles, submissos aos regulamentos, não fizeram greve. Apenas não saíram dos quartéis porque suas mulheres, mães e filhos bloqueavam a passagem, para chamar a atenção ao problema que vivem. Dizer que os seus familiares ali se encontravam a mando dos militares é incerto, da mesma forma que esperar deles o uso da força para retirá-los do caminho ou assistirem passivamente que outros o fizessem.

Controlada a situação e recolocada a tropa na rua, o melhor que o governo do Espírito Santo tem a fazer é buscar a pacificação. Exatamente o contrário do que as primeiras medidas vêm demonstrando. Do jeito que se encaminha a questão, corre-se o risco de criar uma inconveniente divisão na tropa, colocando de um lado os punidos sob a denúncia de greve e de outro os que não forem atingidos pelas punições. Como a unidade é fundamental para o bom trabalho, isso levará a desavenças e prejuízos ao cumprimento da finalidade. Em vez de procurar onde os militares arrepiaram a lei, o governador deveria olhar para o próprio umbigo e verificar onde ele próprio foi o descumpridor e contribuinte para a situação crítica.

Os governos estaduais não podem ignorar que enquanto empregadores, têm obrigações para com seus empregados. Lembrar também que investem alto na formação dos militares, trabalhadores diferenciados e especializados, operadores de um setor essencial. Se o governador Paulo Hartung e os outros governadores – pois a situação é difícil em todos os estados – insistirem em levar a questão a ferro-e-fogo, é lógico que garantirão a presença dos militares nas ruas. Mas correrão o risco de tê-los apenas como presença, em operação-padrão, cumprindo a letra fria da lei, mas evitando confrontos ou quaisquer atividades que exijam sua energia, força física ou o uso da arma e possam lhes trazer problemas funcionais ou disciplinares. Se isso vier a ocorrer, não poderão punir a tropa, po is ela estará no trabalho, mas será ineficiente e estará criado o ambiente ideal para a criminalidade...
 
*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 

COMPARTILHE:


Confira também:


Operação Paz e Sossego

Forças de Segurança estaduais participam de mais uma fase da Operação Paz e Sossego na Capital

Para o delegado Túlio Mota, a participação do efetivo da Polícia Civil reforça a integração das forças de segurança no cumprimento de ações que visem garantir o bem-estar dos usuários de estabelecimentos comerciais na Capital.

Porto Nacional

Travessia do Rio Tocantins com voadeiras inicia nesta sexta em Porto Nacional

A ponte continua aberta para pedestres, ciclistas, motociclistas e veículos de urgência e emergência. Técnicos atuam na realização da inspeção da estrutura. Os dados coletados embasará o relatório sobre as condições da via.



Incentivos Fiscais

Empresários aprovam medida do Governo para avaliação dos incentivos fiscais

O decreto publicado, pelo Governo do Tocantins, na terça-feira, 12, que visa fazer um levantamento sobre os incentivos fiscais concedidos pelo Estado, agradou a classe empresarial.


Cirurgias Eletivas

Tocantins cumpre meta e garante mais recursos para realização de cirurgias eletivas em 2019

O cumprimento da meta, segundo o secretário de Estado da Saúde, Renato Jayme, se deu pelo comprometimento de todos os profissionais envolvidos.


Comerciantes

Agtur realiza sorteio dos espaços da Praça de Alimentação do Capital da Fé 2019 nesta sexta, 15

A Agtur oferecerá um curso de manipulação de alimentos e práticas em data a ser definida.


Foco na Humanização

Cinthia reúne secretariado e determina foco na humanização e qualidade dos serviços públicos


Operação Fragmentos

Polícia Civil realiza Operação Fragmentos no Sudeste do Estado


Vistorias no HGP

Defensoria e MPE encontram desassistência a pacientes e falta de 177 medicamentos


Setor Santo Amaro

Prefeitura inaugura praça do setor Santo Amaro nesta quarta, 13


Tarifa de Protesto

Protestar em cartório agora não tem custo para quem cobra dívidas


Saúde

Quantidade de profissionais da saúde ainda é insuficiente, afirmam DPE-TO e MPE em ação civil pública



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira