Friday, 13 de December de 2019

OPINIÃO


Opinião

Para onde vamos?

20 Jun 2018
Divulgação Para onde vamos? Um símbolo do filme é o celular do advogado, que não para de tocar.

Por Oscar D'Ambrosio

Lembra daquelas perguntas célebres: De onde viemos? O que somos? Para onde vamos? Ao adaptar a peça “O Deus da Carnificina”, de Yasmina Reza, para o cinema, o diretor Roman Polanski nos obriga a pensar muito na terceira delas. Qual é o objetivo da nossa vida numa sociedade conturbada, na qual a violência se faz onipresente embora exista um discurso pacifista que parece querer permear todas as nossas ações?

O eixo da narrativa é a agressão que uma criança de 11 anos fez contra outra da mesma idade num parque. O casal do menino agressor e do agredido marcam uma reunião para esclarecer o acontecido. E a reunião aparentemente civilizada se torna uma batalha campal, literalmente, com direito a todo tipo de assédio psicológico e verbal.

O debate vai muito além da violência entre as crianças. Entra pela discussão sobre dois casamentos em crise e por relações degastadas de cada personagem com o mundo. De um lado, o vendedor de materiais de construção inicialmente passivo e a autora de livros de história aparentemente controlada; do outro, um advogado e uma corretora da bolsa de valores.

Um símbolo do filme é o celular do advogado, que não para de tocar. Torna-se uma conexão com um mundo cruel e competitivo, em nada diferente das relações do apartamento em que os personagens discutem. Não há espaço para a paz ou para o diálogo sincero. O telefone celular continua chamando... E cada um apenas se escuta; e uns devoram aos outros sem cessar.

Oscar D'Ambrosio, mestre em Artes Visuais e doutor em Educação, Arte e História da Cultura, é Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

COMPARTILHE:


Confira também:


Governo Municipalista

Ao lado de Bolsonaro, governador Carlesse afirma que Governo Municipalista vai gerar mais de 20 mil empregos no Tocantins

Os recursos também serão usados para a construção da nova ponte de Porto Nacional. A obra deve levar aproximadamente dois anos e quatro meses para ser concluída.

Ação

TIM é a primeira operadora a ser nomeada empresa Pró-Ética pela Controladoria-Geral da União

Para receber essa habilitação, o Programa de Integridade da TIM passou por uma criteriosa avaliação de um comitê gestor formado por membros da CGU, do Instituto Ethos, da B3, entre outros.


13º salário

Assembleia antecipa 13º salário dos servidores para esta sexta-feira

A folha do 13º soma R$ 6,5 milhões que, somados aos salários de novembro, pagos no último dia 2, no valor de mais de R$ 13 milhões, totalizam quase R$ 20 milhões injetados na economia tocantinense, neste mês de dezembro.


TJTO

Desembargador Ronaldo Eurípedes nega pedido de liberdade provisória a Iury Italu Mendanha

E arrematou sua decisão ponderando que, “em detida análise da ação penal originária, não se verifica desídia ou omissão, seja da autoridade judiciária ou do Ministério Público, que estão exercendo seus respectivos encargos de forma devida e em conformidade


Seciju

Governo do Tocantins realiza dia D de atendimentos em alusão ao Dia Internacional dos Direitos Humanos


Sustentabilidade

Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Lontra e Corda elege novos membros e mesa diretora


Boas novas

Governo apresenta resultados de projetos do Turismo de Base Comunitária no Jalapão, em Brasília


Europa

Comitiva do Tocantins é recebida na Embaixada Brasileira em Madrid


Melhorias

Rodovia que liga Taquaruçú a Buritirana recebe manutenção corretiva e preventiva


Intercâmbio Cultural

Vice-governador e Presidente da Ilha Príncipe manifestam Interesse em Programa de Intercâmbio Cultural



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira