Thursday, 18 de July de 2019

OPINIÃO


Ciência e Tecnologia

Pró-reitor de desenvolvimento

23 Jun 2017

Os pró-reitores de desenvolvimento foram assim denominados para aquelas pessoas que ocupam posições cuja missão, ao que tudo indica, é provocar a inovação e a expansão das suas organizações de ciência e tecnologia. Notem a frase duvidosa "ao que tudo indica". Quem criou essas posições, "ao que tudo indica", não sabia do que estava falando e nem com o que estava tratando. A razão disso é que o termo "desenvolvimento" é extremamente ambíguo, passível de inúmeras definições diferentes e contraditórias, que é praticamente impossível colocá-lo em prática. Tanto é assim que em termos gerenciais ele não é admitido e na ciência e filosofia é considerado um ideário. De qualquer forma, como é uma posição que muitas organizações de ciência e tecnologia brasileira utilizam, este artigo tem como objetivo definir as funções que o pró-reitor dessa área precisa desempenhar.

As pró-reitorias de desenvolvimento recebem inúmeras denominações. Eis algumas: pró-reitoria de desenvolvimento de pessoas, pró-reitoria de planejamento e desenvolvimento institucional, pró-reitoria de desenvolvimento institucional, pró-reitoria de desenvolvimento universitário, pró-reitoria de desenvolvimento humano, pró-reitoria de pesquisa, inovação e desenvolvimento, pró-reitoria de desenvolvimento social e inúmeras outras. O que essas unidades têm em comum é exatamente o fato de não se saber com precisão de que tratam. Isso não quer dizer, contudo, que algumas não desempenhem papéis formidáveis.

Tome-se o caso de um instituto federal do Sul do país. Ali, o pró-reitor de desenvolvimento institucional é o cérebro da organização. Lida com os problemas mais complexos do instituto, de maneira que dificilmente o pró-reitor toma decisão de longo prazo e que envolva alto risco sem que essa pró-reitoria se manifeste formalmente. Veja-se o exemplo da gestão de pessoas. Institucionalmente é o pró-reitor de administração que tem a responsabilidade sobre o pessoal, mas estrategicamente é o pró-reitor de desenvolvimento institucional que tem todos os dados e informações sobre o pessoal no curto, médio e longo prazos.

A pró-reitoria sabe com precisão quantos servidores deverão se aposentar anualmente, quantos sairão para realizar aperfeiçoamentos em mestrado e doutorado, quantos deverão pedir licença para tratar de interesses diversos e assim por diante. Quando se fala em precisão, em gestão, é sempre de bom alvitre lembrar que o termo quer dizer uma previsão com meta e limites superiores e inferiores de erros padronizados. Precisão não é como o senso comum imagina. Pois bem, com base nesses dados e informações o pró-reitor de desenvolvimento institucional orienta não apenas o pró-reitor de administração, mas todos os outros e diretores de campi.

Atuações semelhantes a essas são constatadas em algumas organizações de ciência e tecnologia bem gerida. Vamos a mais um exemplo. O pró-reitor de desenvolvimento e planejamento de uma universidade federal tem os dados e informações sobre o comportamento das demandas e ofertas internas anuais de tecnologia da informação (TI) para os próximos 30 anos. O gerenciamento da TI é de competência da pró-reitoria de administração, que gerencia o plano mestre de operações, mas segue as orientações do pró-reitor de desenvolvimento. É com base nessas orientações que máquinas, equipamentos e serviços são continuamente modificados e o grau de satisfação dos usuários é altíssimo, próximo de 95%, em uma escala de 0 a 100.

Esses dois exemplos permitem compreender tanto a ambiguidade da posição de pró-reitor de desenvolvimento quanto a aplicação prática no cotidiano das organizações que a mantém nas suas estruturas. Primeiro, os pró-reitores não têm todos os mesmos desafios e funções a desempenhar. Parece que a posição foi criada para lidar com questões específicas, como confirma a maioria dessas posições, embora isso não possa também ser considerada uma afirmativa categórica. Há muitas exceções.

Segundo, a maioria dos pró-reitores de desenvolvimento que têm algum sucesso lida com o longo prazo. Infelizmente (e como era de se esperar), a maioria dos pró-reitores de desenvolvimento são mal sucedidos justamente pela ambiguidade de suas missões e funções. Mas os quando trabalham com adequação o longo prazo com dados e informações a partir de métodos e procedimentos gerenciais qualificados têm contribuído decisivamente para o adequado funcionamento de suas organizações e alcance de seus objetivos. Por exemplo, o instituto federal do nosso exemplo praticamente não teve problema com servidores nos últimos seis anos, quando a pró-reitoria começou a funcionar, diferentemente de quase todos os outros, onde disciplinas não são ofertadas por falta de professores.

Terceiro, os pró-reitores de desenvolvimento são o cérebro da organização como um todo, em poucos casos, e em aspectos específicos, em muitos casos. Isso quer dizer que aqueles pró-reitores que fazem com adequação seus trabalhos (e os reitor e pró-reitores entendem o mínimo de gestão) fornecem os subsídios necessários para a tomada de decisão de longo prazo e que envolvam riscos elevados. A técnica a serviço da gestão proporcionada pelo pró-reitor é como dissipador de instabilidade ante os ambientes cada vez mais instáveis e incertos.

O pró-reitor de desenvolvimento, como mostramos neste artigo, tem o desafio de tornar claro o seu papel no contexto organizacional quanto apresentar resultados que lhe permita justificar sua presença no organograma institucional. O que se pode afirmar, com alto grau de certeza (novamente, certeza no sentido gerencial), é que essa posição poderia facilmente ser extinta, caso os outros pró-reitores fizessem com adequação os seus trabalhos e realizassem suas missões. Isso leva à inferência natural de que onde houver uma pró-reitoria de desenvolvimento, tanto geral, como as institucionais dos institutos federais, quanto específicas, como as de inúmeras universidades, lá está algo que não está funcionando bem.


*Daniel Nascimento-e-Silva, PhD
Professor e Pesquisador do Instituto Federal do Amazonas (IFAM)

COMPARTILHE:


Confira também:


Operação ROUND II

PF deflagra operação ROUND II e prende casal de traficantes de drogas sintéticas

Durante a deflagração foram apreendidas novas porções de drogas na residência do casal, inclusive ecstasy, o que motivou a prisão em flagrante do casal.

Operação Walking Dead

Nova fase da Operação Walking Dead cumpre mandados no Tocantins, Pará e Maranhão

Simultaneamente, PC-TO apoia operação da Polícia Civil do Maranhão deflagrada a partir de provas da Walking Dead e Falsario. Ao todo, 65 mandados são cumpridos em cinco Estados.



Turismo

Adetuc projeta aumento de turistas e movimentação de mais de R$ 118 milhões na Temporada de Praias 2019

O presidente da Adetuc destacou também o importante papel que órgãos do Governo têm tido para colaborar a realização da temporada de praias deste ano.


Investimento

Wanderlei Barbosa apresenta ações de turismo e cultura à artesãos de Taquaruçu

Wanderlei Barbosa destacou que os turistas vão a Taquaruçu para conhecer as cachoeiras, pousadas e cultura local. “Temos que criar ambientes e capacitar os moradores para fomentar o turismo do distrito.


SSP

Com base em investigações da Polícia Civil Ministério Público denuncia servidora por peculato

Denúncia foi aceita nesta terça-feira (16) pelo juiz Francisco Vieira Filho. Ex-mandatário e ex-gestores públicos estaduais também viraram réu no processo por peculato e falsidade ideológica.


Tocantins

Inscrições para o 1° Prêmio de Jornalismo da Adpeto continuam abertas


Campo

Comunidade rural se torna caso de sucesso por meio do Crédito Fundiário


Segurança

Duas crianças vítimas de acidente de trânsito no Sudeste do Tocantins são resgatadas pela aeronave da SSP


História de transformação

Dona Naninha e família são homenageadas em evento em Natividade (TO)


IML

Em apenas 5h, peritos do IML do Tocantins identificam cadáver carbonizado pela arcada dentária


TJTO

Juíza determina que o Estado e o município de Palmeirópolis forneçam, em 10 dias, remédio contra hanseníase a paciente



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira