Palmas, 18/10/2017

Saúde

Viver

4º Fórum Nacional de Nutrição alerta: é preciso união e conscientização para combater a obesidade crescente

  • Cintia Cercato, endocrinologista e metabologista, apresentou dados preocupantes da Vigitel Brasil 2016


SÃO PAULO, 29 de setembro de 2017 -- Os dados alarmantes sobre a obesidade, excesso de peso e deficiência nutricional no Brasil e no mundo, as diferentes opiniões sobre alimentação saudável e o papel do governo e da indústria na difusão da informação sobre com responsabilidade foram os temas debatidos, durante o 4º FÓRUM NACIONAL DE NUTRIÇÃO, evento promovido pelo LIDE e LIDE SAÚDE, na última terça-feira (26), em São Paulo.

Cintia Cercato, endocrinologista e metabologista, apresentou dados preocupantes da Vigitel Brasil 2016. "Ao mesmo tempo em que aumenta o consumo de frutas e hortaliças, e também a prática de atividade física, cresce o número da obesidade - são 18,9% de obesos no país", alertou a especialista, que completou: "a obesidade deve ser encarada por todos os setores como doença. Políticas públicas devem ser implantas com urgência para difusão do consumo alimentar saudável".

A importância do aconselhamento de um profissional foi destacado pela nutricionista e coordenadora da equipe de Nutrição do Grupo de Assistência, Ensino e Pesquisa em Comer Compulsivo e Obesidade (GRECCO) Fernanda Pisciolaro. "É importante que o indivíduo aprenda a aceitar, diferenciar e respeitar os sinais vitais de fome e das emoções, da saciedade, vontade e prazer", explicou. Sonia Tucunduva, nutricionista sanitarista, apontou os benefícios da fortificação dos nutrientes para a saúde. "A introdução de pontuações e índices de perfil de nutrientes e energia pode ajudar a indústria, e principalmente, a população na adoção de hábitos e alimentos saudáveis".

Desmistificar o processamento dos alimentos foi a proposta de Marcelo Cristianini, professor e coordenador da Universidade Estadual de Campinas e do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentos (NEPA). "Não podemos afirmar que todo o alimento natural é seguro ou todo sintético é perigoso. A inovação e a tecnologia avançam em alta escala na indústria alimentícia, garantindo a segurança do alimento e a conservação dos nutrientes", revelou.    

O encontro contou ainda com a exposição de Mauro Fisberg, médico-pediatra, diretor do Núcleo de Dificuldades Alimentares do Instituto PENSI - Hospital Infantil Sabará e curador do Fórum. "Ficou muito claro que nós sabemos quais são os problemas: o excesso de peso, a carência nutricional, a obesidade como uma epidemia global, a fome oculta, a epidemiologia relacionada a densidade e volume dos alimentos e o descontrole da informação".

Ainda durante o Fórum, Dan Linetzky Waitzberg, presidente e coordenador do Grupo de Pesquisa de Nutrição Humana NAPAN; Franco Lajolo, professor Sênior do departamento de Alimentos e Nutrição Experimental da Faculdade de Ciências Famarcêuticas da USP; e Maria Marlene Pires, professora/orientadora e membro Colegiado do Curso de Pós-Graduação em Ciências Médicas da UFSC, foram homenageados por suas contribuições nos campos da saúde e nutrição.

O 4º FÓRUM NACIONAL DE NUTRIÇÃO contou com o patrocínio da NESTLE e importantes empresas para sua realização. O apoio foi da TETRA PAK e a colaboração da DSM. A COMUNICARE CONSULTORIA DE COMUNICAÇÃO, CORPORATE IMAGE, ECCAPLAN, F&Q BRASIL e GRUPO BEM foram os fornecedores oficiais. Entre os mídia partners estavam o jornal DCI, as revistas ISTOÉ, ISTOÉ DINHEIRO e LIDE, a PR NEWSWIRE, as rádios BANDEIRANTES e BAND NEWS, além da TV LIDE.


FONTE 4º FÓRUM NACIONAL DE NUTRIÇÃO


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus