Friday, 20 de September de 2019

SAÚDE


Panorama

50% dos pacientes diagnosticados com sepse morrem no Brasil

26 May 2015

A sepse, conhecida pelo público em geral como infecção generalizada, é uma resposta inflamatória do organismo causado por um agente infeccioso. Quando esse agente, que pode ser uma bactéria, um vírus, um fungo ou um parasita, leva a uma resposta inflamatória sistêmica (que atinge os órgãos) caracteriza-se o quadro de sepse. Estima-se que existam 400 mil casos por ano no país, sendo que 210 mil dessas pessoas acabam não resistindo e morrendo.

Num país como o nosso, com um sistema de saúde público deficiente e sem uma estrutura física de hospitais adequada, a demora em se fazer esse diagnóstico aumenta muito as chances de óbito desses pacientes. "A literatura médica tem evidências e dados que demostram que um diagnóstico e uma resposta rápida fazem a diferença na mortalidade dos pacientes com sepse; Além de diminuir a mortalidade, também diminuem o tempo de internação e os custos do tratamento", explicou o Dr. Guilherme Schettino, gerente médico do departamento de pacientes graves do Hospital Israelita Albert Einstein.

A sepse pode ser o motivo principal da internação do paciente na UTI ou ela pode se desenvolver como uma complicação de algum tratamento que o paciente recebe enquanto está no hospital. Entretanto, a maior dificuldade em se fazer o diagnóstico está no fato de que sua apresentação inicial pode ser variada e nem todos os pacientes apresentam os sintomas característicos da doença. "O profissional precisa ter um alto nível de suspeita, para que se pense na sepse em todas as situações e em todas as suas apresentações possíveis. Mesmo que, depois, durante o acompanhamento do paciente, esse diagnóstico seja excluído", complementou o médico.

O ideal é que todos os hospitais desenvolvam protocolos de atendimento para estarem preparados para identificar precocemente o paciente que chega com sepse, através de exames clínicos e laboratoriais, e para terem agilidade no início deste tratamento. Geralmente, essa preparação precisa ser feita principalmente nas áreas de pronto atendimento, que é geralmente por onde chegam essas pessoas. Entretanto, também deve se estender para as outras áreas do hospital como UTIs, unidades de internação etc. Esse protocolo é conhecido como pacote de primeira hora.

Como a realidade brasileira é muito diversificada, a identificação da sepse muitas vezes não alcança esta meta e o início de seu tratamento acaba sendo retardado. Por conta disso, muitos hospitais utilizam como meta um pacote de três horas para identificar e dar início ao tratamento e de seis para sua continuação e a estabilização do paciente. "É comprovado que a eficácia do tratamento depende do tempo de início da antibioticoterapia. Quanto mais rapidamente ela é iniciada, menores são as taxas de mortalidade", explicou o Dr. Schettino.

Às vezes, o paciente pode desenvolver a sepse durante seu período de internação e, em alguns casos, além do tratamento, também é necessário fazer a retirada do foco infeccioso. "Por exemplo, para administrar medicamentos é necessário utilizar um cateter que, se não tiver uma boa manutenção, pode infectar, se tornando um foco. Então, nesse tipo de caso, é preciso fazer sua remoção o mais rápido possível", disse o médico.

O Dr. Guilherme Schettino será um dos palestrantes no evento VIII ISICEM – LA (International Symposium on Intensive Care and Emergency Medicine for Latin America), capítulo latino-americano do tradicional evento anual realizado em Bruxelas – considerado um dos melhores simpósios de terapia intensiva do mundo. O encontro será de 17 a 20 de junho, no Hotel Transamérica, em São Paulo. (Fonte: Hospital Israelita Albert Einstein)

COMPARTILHE:


Confira também:


Municípios

ATM fará três eventos técnicos com CNM, FNDE e SUDAM

O presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso, Jairo Mariano, convoca os gestores municipais das referidas áreas a participarem dos encontros.

Agenda

Em Brasília, parlamentares do Tocantins buscam recursos para obras

Para o Delegado Rérisson as reuniões foram bastante positivas.


Seu Bolso

Energisa prorroga campanha para negociação de dívidas

Clientes terão condições especiais para negociar débitos


Premiação

Nota Quente paga R$ 10.935,88 neste sábado, 21

O programa Nota Quente Palmense realiza sorteios mensais de R$ 10 mil e dois sorteios semestrais de R$ 50 mil, sendo um no mês de maio e outro no mês de outubro, além do grande sorteio anual, de R$ 200 mil, realizado em dezembro.


Saúde

Profissionais de saúde alertam sobre cuidados com as altas temperaturas na Capital


Drogas

Polícia Civil prende quatro traficantes e apreende mais de 30kg de maconha em Gurupi


Honraria

Participante de programa do Instituto TIM vence prêmio global da ONU


Agrotóxicos

Assembleia debate uso de agrotóxico em audiência proposta por Zé Roberto Lula


Economia

Endividamento atinge mais de 68% dos palmenses em agosto


Vestibular

Inscrições abertas para o Vestibular da Unitins



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira