Monday, 19 de November de 2018

SAÚDE


Campanha

Hospital Municipal de Araguaína conscientiza pais sobre abuso e exploração sexual infantil

17 May 2018    14:42
Camylla Costa Hospital Municipal de Araguaína conscientiza pais sobre abuso e exploração sexual infantil ​Equipe formada pela psicóloga do HMA e representantes do Conselho Tutelar, OAB-TO, CRAS e CREAS deram todos os esclarecimentos para os pais sobre os sinais de abuso infantil

A consciência sobre os atos que se configuram como abuso ou exploração sexual infantil é essencial para o combate deste tipo de violência. Pensando nisto, o Hospital Municipal de Araguaína (HMA) aderiu à campanha “Faça Bonito. Proteja Nossas Crianças e Adolescentes” e realizou nesta quarta-feira, 16, uma palestra com este tema para os acompanhantes dos menores internados.

A campanha faz referência ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes (18 de maio) e foi levada ao hospital por meio de uma parceria com o Conselho Tutelar, a Ordem dos Advogados do Brasil no Tocantins (OAB-TO), o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Prefeitura Municipal de Araguaína e o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).

De acordo com a psicóloga do HMA, Cleide Nascimento, o objetivo é conscientizar as famílias sobre a importância de procurar as autoridades competentes quando há suspeita de abuso.

“Nossa ação é para chamar a atenção dos pais e responsáveis sobre sinais de alerta que indicam o momento de procurar ajuda”, enfatizou.

Para Ester Batista, mãe da pequena Eloá, o evento foi uma surpresa importante durante a internação de sua bebê. “Eu tinha muitas dúvidas sobre o assunto e hoje pude esclarecer. Vou levar para casa o que falaram aqui”, garantiu Ester.

Enfrentamento da violência

A palestra foi conduzida por representantes das entidades parceiras de forma dinâmica e objetiva. Em sua fala, o conselheiro tutelar de Araguaína, Álvaro Otávio, mostrou para os pais e responsáveis como identificar os sinais que a vítima dá quando está passando por algum tipo de violência.

“A vítima pode se sentir coagida. O abusador utiliza por vezes de estratégias que atraiam a criança e façam com que ela permaneça em silêncio. Por exemplo: ele pode oferecer presentes para que não seja denunciado”, explanou.

Álvaro também falou sobre o que é direito violado e o que pode ser considerado abuso ou exploração sexual. “Atos libidinosos ou intenções eróticas em relação à vítima já são violências sexuais”, revela o conselheiro.

Ele explicou ainda que cada vítima pode demonstrar que está sofrendo com comportamentos particulares. No entanto, é comum haver isolamento, apego excessivo com a mãe ou outro(a) responsável e até mesmo a volta de atitudes já superadas, como urinar na cama.

Com os sinais identificados, o próximo passo é procurar ajuda, conforme complementou o advogado Lucas Luciano Silva,  representante da OAB-TO. “Os responsáveis podem acionar o Conselho Tutelar ou denunciar por meio do disque 100, do Direitos Humanos. O importante é não deixar a situação chegar a um patamar incontrolável”, informou.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

60

PARABÉNS!
PARABÉNS!

53

BOM
BOM

63

AMEI!
AMEI!

46

KKKK
KKKK

43

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

40

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

33

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

Abuso e Exploração Sexual Infantil HMA

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


Saúde

Médicos formados no exterior tentam validar diploma no Brasil

No último dia 14, o governo de Cuba informou que deixará de fazer parte do programa Mais Médicos.

Tocantins

ATM diz que há enorme preocupação diante da saída dos médicos cubanos

De acordo com a Organização Panamericana da Saúde (OPAS), atualmente são 8.500 médicos cubanos atuando na Estratégia Saúde da Família e na Saúde Indígena no Brasil.




  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira