Saturday, 14 de December de 2019

SAÚDE


Panorama

Mais de 55 mil pessoas possuem diabetes no Tocantins

30 Jun 2019
Nielcem Fernandes Mais de 55 mil pessoas possuem diabetes no Tocantins Com uma gotinha de sangue, retirada de um dos dedos da mão, é possível ver se há alguma alteração na taxa de glicemia.

O dia 27 de junho é considerado o dia internacional do diabético, a comemoração nasceu com o objetivo de promover a conscientização da sociedade sobre a doença e as formas de tratamento. O diabetes é uma doença crônica na qual o pâncreas não produz insulina suficiente ou quando o corpo não consegue utilizá-la de maneira eficaz.

Segundo os dados repassados pelos municípios à Gerência de Agravos não Transmissíveis da Secretaria de Estado da Saúde, atualmente no Tocantins existem 29.836 pessoas diabéticas e 25.872 pessoas diabéticas com hipertensão, totalizando 55.708 portadores da doença.

A técnica da área de doenças crônicas, Sheila Márcia Machado, explicou que o atendimento aos portadores da doença é realizado pela atenção primária, fornecida pelos municípios nas Unidades Básicas de Saúde, sendo de competência do Estado a distribuição das doses de insulinas para os municípios, que por sua vez repassam para os pacientes.

“No último trimestre foram disponibilizados 9.598 frascos de Insulinas NPH e 1.950 frascos de insulina regular para os municípios tocantinenses. A Insulina NPH possui uma ação mais prolongada no organismo com duração de 12 a 20 horas, já a Insulina regular tem uma ação mais rápida e ajuda a manter os níveis glicêmicos estáveis após as refeições”, afirmou Sheila.

Diagnóstico do diabetes
O Ministério da Saúde ressalta que o diagnóstico do diabetes é feito por um simples exame de sangue. Com uma gotinha de sangue, retirada de um dos dedos da mão, é possível ver se há alguma alteração na taxa de glicemia.

Esse teste inicial leva, no máximo, três minutos para mostrar o resultado. Se for identificada uma alteração considerável, o médico solicitará outros exames clínicos e laboratoriais mais profundos e detalhados, como o teste oral de tolerância à glicose (Curva Glicêmica).

Esse exame é feito em diversas etapas, em que são coletadas amostras de sangue em um tempo determinado, geralmente de 30 em 30 minutos.

Fatores de risco para o diabetes
A ausência de hábitos saudáveis são os principais fatores de risco, além da genética. Os principais fatores são:

·         Diagnóstico de pré-diabetes.

·         Pressão alta.

·         Colesterol alto ou alterações na taxa de triglicérides no sangue.

·         Sobrepeso, principalmente se a gordura estiver concentrada em volta da cintura.

·         Pais, irmãos ou parentes próximos com diabetes.

·         Doenças renais crônicas.

·         Mulher que deu à luz criança com mais de 4kg.

·         Diabetes gestacional.

·         Síndrome de ovários policísticos.

·         Diagnóstico de distúrbios psiquiátricos - esquizofrenia, depressão, transtorno bipolar.

·         Apneia do sono.

·         Uso de medicamentos da classe dos glicocorticoides.

COMPARTILHE:


Confira também:


SSP

Polícia Civil prende três pessoas e apreende 10,5 kg de pasta base de cocaína

Policiais monitoraram por cinco meses atuação criminosa. Droga era oriunda do estado do Mato Grosso.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira