Palmas, 22/01/2018

Últimas

Piracema

Blitz alerta que pescar no período da piracema é crime

  • Um ação de conscientização, realizada na manhã desta sexta-feira, 8, teve o objetivo de alertar a população que a pesca no período da piracema, época de reprodução dos peixes, é crime

Regiane Rocha

Blitz alerta que pescar no período da piracema é crime



Wédila Jacome

Um ação de conscientização, realizada na manhã desta sexta-feira, 8, teve o objetivo de alertar a população que a pesca no período da piracema, época de reprodução dos peixes, é crime. A blitz aconteceu na Avenida JK e reuniu a Divisão Ambiental da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), o  Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) e o Batalhão da Polícia Militar Ambiental.
 
Após as ações de conscientização, os órgãos ambientais intensificarão as abordagens repressivas de fiscalização, conforme relata o Inspetor Heleno de Freitas da GMP. "Nossa fiscalização tem constatado muita pesca predatória nesse período. Isso prova que a população não está tendo consciência. Estamos fazendo blitze educativas e depois partiremos para as blitze repressivas para coibir a pesca na piracema", destacou.
 
A importância de proibir a pesca no período da piracema é para preservar as espécies, pois, nesse período, as espécies estão se reproduzindo. "Ao ser pescado um único peixe, é retirado da água uma matriz que vai deixar de reproduzir uma média de 4 mil filhotes. "Então, não é só um único peixe, mas sim, vários que acabam se perdendo", explicou o inspetor.
 
Piracema
 
O período de piracema foi instituído pelo Naturatins e ocorre de 1° de novembro a 28 de fevereiro, quando é proibido o exercício da pesca em todas as suas modalidades, nos rios, lagos ou qualquer outro curso hídrico existente no Estado do Tocantins. A exceção é apenas para pesca esportiva [pesque e solte], a pesca de subsistência e a pesca amadora em reservatório e consumo no local.
 
Os pescadores que não respeitarem rigorosamente as restrições para a atividade podem responder por crime ambiental e serem multados. A multa varia de R$ 700 a R$ 100 mil, mais R$ 20,00 por quilo de peixe pescado, e ainda ter o seu material apreendido.
 
O inspetor Freitas alerta ainda que todo material envolvido na pesca predatória que for recolhido nesse período de piracema será apreendido e destruído.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus