Monday, 24 de June de 2019

VIVER


Ponto de vista

O necessário tempo para as relações

16 Sep 2018    22:36
O necessário tempo para as relações

Rafael Pereira
@rapres (Redes Sociais)
Telefone:(63) 9 81171300


O prazer em fazer novas amizades é sutilmente visto em crianças, onde a facilidade é extrema para contagiar o próximo com simples palavras, e até mesmo pequenas atitudes são lógicas para o início de pequenos vínculos afetivos. Infelizmente isso muda durante as demais fazes de vida.

O que pode ser analisado, é que vagarosamente acabamos nos dividindo e distanciando em grupos menores, e em boa parte são pessoas do convívio do trabalho, facilmente confundidos com coleguismo. Assim cada vez mais as pessoas estão mais solitárias e propensas a períodos depressivos, mesmo envolvidas com outros indivíduos, ou seja, vivemos em pequenas bolhas propensas a poucas mudanças em rotinas.

Estas bolhas sociais são superficiais, sendo que até podemos conversar com outras pessoas ao longo do dia, mas não é um contato que gera vínculos fortes. A tecnologia tem nos afetado de tal forma que paramos de ver o mundo ao redor, e é fácil observar centenas de pessoas surfando nas redes sociais como se fossemos personagens de um mundo artificial.

Se faz necessário que pelo menos uma vez ao dia fiquemos longe de tal virtualização, e possamos comtemplar o tempo e as amizades que ainda nos restam. Porém para isso, precisamos que os mesmos sentimentos sejam mútuos e que as rotinas possam ser mudadas dando a margem de liberdade para aproveitar momentos em uma mesa de bar, caminhadas em parques e atividades ligadas ao wellness, propondo uma pequena válvula de escape.
Em nossa regionalidade social as bolhas individuais estão se alastrando em lugares antes não vistos, como as cidades interioranas. A ênfase nas redes sociais virtuais já é realidade, e assim os vínculos cotidianos estão se distanciando. A individualidade corriqueira, vista comumente em cidades grandes é fruto de muitas situações, algumas como a falta de tempo.

Cada dia precisamos de mais tempo para relações de trabalho e estudos, tendo pouquíssimo saldo restante para o vínculo familiar e social. Países como Alemanha, tem observado bem estes paradigmas e garantido políticas públicas com redução de horas de trabalho e incentivos as atividades sociais.

A remediação ao problemas sociais podem ser vistos em países que já estão em manobra para melhorar a qualidade de vida de suas populações. Provavelmente veremos algumas alternativas no futuro, quando o problema já estiver visivelmente efetivo em nossa nação, causado por fatores negativos de índice de qualidade de vida.  Talvez políticas públicas sejam necessárias afim de mudar paliativamente, dar assim mais tempo as pessoas ampliando melhorias em camadas importantes como saúde, esporte e lazer.

COMPARTILHE:


Confira também:


Copa América

Jogos de hoje definem adversário do Brasil nas quartas de final

Seleção pode enfrentar Japão, Equador, Uruguai ou Paraguai

Opinião

Cenário político de Palmas: “aparentar ser ” e o “fazer de fato”

É fato que a campanha eleitoral de 2020 já começou. As pedras já estão se posicionando no tablado. Até o momento, de oficial mesmo, somente a candidatura à reeleição da prefeita Cinthia




  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira