Palmas, 13/12/2017

Viver

ETI Santa Bárbara

Uma vez por semana na ETI Santa Bárbara é assim: “Hoje tem pão de queijo, tia?”

  • “No dia do pão de queijo não há desperdício do produto. Diferente do dia que servimos um lanche que não foi feito aqui, por isso estamos trabalhando para, no futuro, produzirmos todo o lanche dentro da escola”, afirma a coordenadora

Walquerley Ribeiro

Uma vez por semana na ETI Santa Bárbara é assim: “Hoje tem pão de queijo, tia?”



Doze quilos de polvilho, quatro quilos de queijo ralado, três litros de leite, três litros de óleo, três litros de água, uma média de 120 ovos e sal. Esses são os ingredientes necessários para se fazer uma massa artesanal que será usada na produção de 600 unidades de um dos quitutes mais apreciados pelos alunos matriculados na ETI Santa Bárbara, localizada na região Sul da Capital, o pão de queijo, produzido na própria unidade.
 
Segundo a coordenadora da cozinha, Márcia Luiz Cavalcante, o dia do pão de queijo é comemorado pelos alunos que, ao passarem pelos corredores, sentem o cheiro de pão fresquinho e perguntam logo: "Hoje tem pão de queijo, tia?", conta.
 
"No dia do pão de queijo não há desperdício do produto. Diferente do dia que servimos um lanche que não foi feito aqui, por isso estamos trabalhando para, no futuro, produzirmos todo o lanche dentro da escola", afirma a coordenadora.
 
De acordo Márcia, além do pão de queijo, eles produzem também, bolo de milho, bolo de fubá, bolo de chocolate, bolo quebrador, peta e torta salgada. "Hoje nós fazemos tudo manualmente, mas a escola adquiriu e estamos aguardando chegar uma amassadeira rápida de 12 kg e um forno turbo elétrico, aí a produção ficará mais fácil e rápida", comemora.
 
Adequação e qualificação
 
De acordo a nutricionista da Secretaria Municipal da Educação (Semed), Ariana Nascimento, durante esse segundo semestre, a rede municipal de ensino está passando por um processo de adequação das cozinhas das unidades educacionais. "Nesse semestre a rede está passando por um processo de transição onde a secretaria da Educação está aparelhando as cozinhas das escolas e qualificando, treinando todos os servidores manipuladores de alimentos, para que no ano que vem nós possamos produzir os alimentos dentro das escolas, comprando fora o mínimo de produtos prontos".
 
Segundo a nutricionista, produzir os alimentos dentro da própria escola garantirá servir aos alunos um alimento mais fresco e de maior qualidade. "Muito mais do que economia financeira, nós buscamos com isso a satisfação do nosso consumidor que é o aluno, pois a qualidade do produto produzido dentro da escola é imensamente superior ao produzido fora, porque são feitos atendendo à recomendação do setor de alimentação da rede", destaca.
  
Economia
 
Segundo levantamento realizado pela Semed, além de garantir a qualidade do produto, produzir os alimentos dentro da escola gera economia para a gestão escolar. Para produzir essa quantidade de 600 unidades de pão de queijo, a ETI Santa Bárbara teve um gasto total de R$ 239,85 com a aquisição dos produtos necessários para sua produção. Já se fosse para adquirir por meio de licitação (política de compras na administração pública brasileira), essa mesma quantidade de pão de queijo a escola teria um gasto de R$ 800,00, o que geraria um acréscimo no valor total de R$ 560,15.


Confira também


Comentários

comments powered by Disqus