Wednesday, 29 de January de 2020

ESPECIAL


Meio Ambiente

Em 2018, BRK Ambiental diz que retirou 500 toneladas de lixo da rede de esgoto em Palmas

27 Jan 2019
Em 2018, BRK Ambiental diz que retirou 500 toneladas de lixo da rede de esgoto em Palmas

Quatro em cada cinco casos de entupimentos e vazamentos nas tubulações de esgoto são provocados por lixo descartado em local inadequado e direcionamento indevido da água de chuva. Em 2018, a BRK Ambiental, concessionária de água e esgoto 47 cidades tocantinenses, retirou mais de 500 toneladas de lixo de dentro da rede coletora de esgoto na capital tocantinense, volume equivalente a dois dias de toda a produção de lixo da cidade. Fraldas, sacos plásticos, fio dental, papel higiênico, absorventes, cabelo e óleo de cozinha são os principais vilões das redes de coleta do esgoto. O acúmulo desses resíduos poderá resultar no entupimento das redes, no vazamento das tubulações espalhadas pela cidade e até no retorno de esgoto para dentro dos próprios imóveis.

Para o engenheiro da área Operacional da BRK Ambiental, Rodrigo Lacerda, o apoio da população atendida é essencial. “Problemas no serviço de esgoto vão acontecer sempre que houver um comportamento inadequado como jogar lixo sólido em privadas, pias e ralos. Esses entupimentos não geram apenas transtornos como mau cheiro, mas colocam em risco o meio ambiente e a saúde da população, principalmente das crianças”, explica.

De acordo com a empresa, uma rotina preventiva contínua de limpeza das redes é realizada para evitar os transtornos: só no ano passado a concessionária vistoriou mais de 128 mil metros da rede. Além dos entupimentos, outras 2 toneladas de lixo e areia são removidos pela concessionária em sua maior Estação de Tratamento de Esgoto na Capital, a ETE Norte, onde é mantido um pequeno museu com os objetos inusitados que chegam pelas tubulações, como aparelhos celulares, calçados e até cédulas de dinheiro.

Bom exemplo
Marlene Morais, 46 anos e moradora do Setor Santa Bárbara em Palmas, é dona de casa e descobriu uma forma de economizar e colaborar para eliminar esse problema. Ela conta que passou a recolher o óleo vegetal utilizado em sua casa para fabricação de sabão. “Eu separo tudo o que eu uso em uma garrafa pet, depois compro soda e faço a preparação do sabão. Diminui meu gasto com sabão em casa totalmente e não deixo mais uma gota de óleo ir pro lugar errado”, explica.

Marlene foi uma das alunas de um curso de capacitação promovido pela BRK Ambiental em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) para capacitar donas de casa para a produção de sabão ecológico artesanal que formaram 80 pessoas em 2018.
 
Além do lixo, o lançamento da água de chuva para a rede de esgoto também é um dos principais causadores de vazamentos. “O volume que chega a estação de tratamento de esgoto aumenta em até 50% nos dias de chuva, uma mostra simples de que não se trata de esgoto das residências, e sim de um volume grande de chuva que não deveria estar ali", afirma Rodrigo. O técnico reforça que a água de chuva deve ser direcionada para as galerias pluviais e bocas de lobo.
 
Ralos externos como este, encontrado em uma fiscalização, levam água da chuva incorretamente para a rede de esgoto.
A empresa combate as irregularidades por meio de vistorias. Os dados são encaminhados aos órgãos de fiscalização e podem resultar até em multa para o morador com hábitos inadequados. Além disso, palestras em escolas e visitas a estações de tratamento também contribuem para a orientação da população. A empresa ainda solicita à população que qualquer vazamento de esgoto seja informado de imediato por seus canais de atendimento: 0800 6440 195, brkambiental.com.br ou pelas redes sociais.

Confira outras orientações da empresa:
•    O óleo de cozinha, depois de utilizado no preparo dos alimentos, deve ser armazenado em garrafas plásticas e destinado a pontos de coleta.
•    Limpe periodicamente sua caixa de gordura.
•    Todo imóvel deve ter uma caixa de inspeção acessível, na calçada ou próxima da mesma, para que seja possível identificar problemas no esgotamento e para realizar a manutenção das ligações de esgoto.
•    Mantenha os ralos do banheiro sempre livres de obstrução.
•    Nunca jogue fio dental, absorventes, papel higiênico ou qualquer material sólido em pias, vasos sanitários ou ralos de sua casa.
•    Sempre que contratar um profissional para construir ou reformar um imóvel oriente-o a não misturar os sistemas internos de água de chuva e esgoto.
•    Os imóveis também devem manter separadas as redes de esgoto das tubulações de água pluvial (água de chuva).Veja o vídeo que explica a diferença entre as redes pluvial e de coleta de esgoto em: https://www.youtube.com/watch?v=oc_KxMAIBkc
•    Ficou com alguma dúvida? Acesse o site da BRK Ambiental e confira outras informações sobre o serviço de esgoto: https://www.brkambiental.com.br/tocantins/tratamento-de-esgoto

COMPARTILHE:


Confira também:


Contratação

IBGE vai contratar mais 1.627 pessoas no Tocantins para trabalhar no Censo 2020

A coleta de dados do Censo Demográfico será realizada entre agosto e outubro de 2020.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira