Sunday, 16 de December de 2018

GERAL


Meio Ambiente

Nova ferramenta permite comparar emissões de uso da terra e florestas de seis países

28 Feb 2018    16:41

Uma nova iniciativa, a Climate Transparency Initiative (CTI), permite, pela primeira vez, comparar as emissões de carbono provenientes da mudança do uso da terra - o que abarca tanto o desmatamento quanto a recuperação de florestas - do Brasil e de outros países e regiões. E o resultado não é nada bom: em 2015, o Brasil emitiu 364 milhões de toneladas líquidas de CO2 vindas do uso da terra, enquanto os demais países analisados já estão capturando carbono neste setor: a China sequestrou 500 milhões de toneladas, a União Europeia 343 milhões, a Índia 41 milhões, o México 162 milhões e os EUA 783 milhões.

O setor de uso da terra e florestas representa uma fatia significativa das emissões globais. No Brasil é responsável por cerca de metade das emissões totais. A CTI trabalhou quatro cenários futuros de emissões e um deles incorpora a plena implementação do Código Florestal. Esta implementação permitiria ao Brasil zerar suas emissões líquidas de gases de efeito estufa oriundos de uso do solo e florestas antes do fim desta década.

Segundo Gustavo Pinheiro, do Instituto Clima e Sociedade, organização responsável pela organização do material em português, “a posição de emissor líquido de gases de efeito estufa gerados por atividades relacionadas ao uso do solo e florestas é um sintoma importante do atraso do Brasil na implementação das políticas de proteção das florestas. A implementação do Código Florestal, que poderia transformar o Brasil em sumidouro de carbono neste setor, tem sido recorrentemente postergada pelo Governo Federal”.

A CTI se soma às demais bases de dados do Carbon Tracker da ClimateWorks, que já permitem acompanhar em detalhe as emissões e as trajetórias de emissão do setor de energia, agricultura, resíduos e construção civil. A CTI também apresenta, separadamente, as emissões relativas à aviação e à navegação. No Brasil, a CTI tem a parceria do Instituto Clima e Sociedade.

O objetivo da CTI é demonstrar o progresso na direção de um futuro de baixo carbono. Além de reunir as informações sobre emissões de gases de cada um dos países, é possível comparar as emissões de cada país no passado e também as projeções futuras com base em diferentes cenários.

A metodologia usada foi desenvolvida pelo Sistema de Estimativas de Emissões de Gases de Efeito Estufa (SEEG), do Observatório do Clima (1). Mas, de modo diferente ao feito pelo SEEG, e para facilitar as comparações entre países, a CTI relata apenas emissões líquidas, ou seja, descontando as chamadas “remoções antropogênicas”.  

A questão da comparabilidade dos dados é fundamental para a descarbonização da economia global, como prevê o Acordo de Paris. Ao possibilitar comparações de emissões de uso da terra com projeções, compromissos assumidos e cenários futuros, esta ferramenta do Carbon Tracker favorece o estudo, a pesquisa, colabora com consultores e profissionais envolvidos em atividades florestais e contribui para que a sociedade civil atue de forma mais efetiva junto aos governos para que levem em conta tais efeitos no desenho, implementação e monitoramento das políticas públicas.

O modelo do CTI elucida as métricas de atividade e intensidade que anualmente impulsionam as emissões de gases de efeito estufa no Brasil. Essas informações serão usadas para acompanhar o progresso da descarbonização à medida que a NDC (Contribuição Nacionalmente Determinada) do país comece a ser implementada. O ClimateWorks Tracker atualizado não só fornece esses serviços em relação ao uso da terra, mas também contextualiza as emissões e os sumidouros de carbono resultantes do uso da terra em relação ao setor de energia.

À medida em que emergem estratégias de redução de emissões para meados deste século e outras estratégias de longo prazo, o foco nesses fluxos de carbono se intensificará, com as nações se esforçando para alcançar emissão líquida zero.

Explore o ClimateWorks Tracker aqui:

http://cti.climateworks.org/pt-br/

 

(1) O SEEG apresenta os dados em emissões brutas, ou seja, o que o país efetivamente lançou na atmosfera, já que há uma discussão sobre a escala das remoções por terras indígenas e unidades de conservação, computadas como "antropogênicas". Por transparência e comparabilidade, o SEEG também sempre publica as emissões líquidas. Na plataforma do SEEG é possível baixar os dados de emissão do Brasil segundo esses mesmos parâmetros.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

52

PARABÉNS!
PARABÉNS!

46

BOM
BOM

57

AMEI!
AMEI!

45

KKKK
KKKK

39

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

45

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

55

CREDO!
CREDO!

Leia por assunto:

Emissões de CO2 Brasil CTI

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


Novo Governo

Bolsonaro diz que pena de morte não será debatida em seu governo

autores de crimes hediondos”. “Em destaque no jornal O Globo de hoje informou que, em meu governo, o assunto pena de morte será motivo de debate.

Investigado

João de Deus sacou R$ 35 milhões de contas e aplicações, confirma MP

Na sexta-feira (14), o Tribunal de Justiça de Goiás acatou o pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e determinou a prisão do médium goiano.


Trabalho

Sindicalizados aprovam orçamento de R$ 2,5 milhões para o SISEPE-TO

Pinheiro frisou que o SISEPE-TO ampliará a divulgação das suas ações, o diálogo com os servidores público e logo conquistará mais sindicalizados.


Tocantins

Em menos de 24 horas, Polícia Civil prende suspeitos de explosão de caixa eletrônico no interior

Entre os indivíduos presos em flagrante está Cristiano Batista da Silva e Jamerson Gama Ribeiro, que são investigados por um roubo cometido na cidade de Novo Acordo


Tocantins

Ministério Público denuncia 19 pessoas por participação em fraude no concurso da PM


Tocantins

MPE e UFT celebram protocolo de intenções para elaboração de estudos técnicos em atuações de interesse social


Pró-Moradia

Vice-governador Wanderlei Barbosa inaugura Condomínio Maria Olívia Carlesse em Palmas


Segurança

Secretário entrega armamentos e anuncia chegada de scanners corporais em casa penais


Serviços Bancários

Sistema de Defesa do Consumidor oficia Banco Central sobre falha na prestação dos serviços bancários no Tocantins


Imbróglio

TCE impede retorno do estacionamento rotativo em Palmas



  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira