Sunday, 05 de July de 2020

JUSTIÇA


Covid-19

Defensoria busca suspender decretos municipais que flexibilizam medidas de prevenção à pandemia em Porto, Miracema e Guaraí

01 Apr 2020
Defensoria busca suspender decretos municipais que flexibilizam medidas de prevenção à pandemia em Porto, Miracema e Guaraí

Visando garantir a saúde individual e coletiva dos cidadãos tocantinenses, a Defensoria Pública do Estado do Tocantins (DPE-TO), por meio das comarcas localizadas nos municípios de Porto Nacional, Miracema do Tocantins e Guaraí, ajuizou Ações Civis Públicas (ACPs), com pedido de tutela de urgência, junto à Justiça intentando suspender os decretos das prefeituras locais que flexibilizam as medidas de prevenção à pandemia do novo coronavírus (Covid-19) nestas três cidades.


A Instituição atua, neste contexto, com base nas orientações das organizações nacionais e internacionais e saúde, que apontam que ainda não é o momento de se retomar os contatos sociais e as rotinas normais no comércio e em outras áreas profissionais, sendo exceção os serviços essenciais.


Porto Nacional


Em Porto Nacional, município que fica a 62 km de Palmas, a DPE-TO atuou por meio da 7ª Defensoria Pública da Fazenda de Porto Nacional. A ACP contra a Prefeitura local tem como objetivo suspender o decreto municipal n.º 153, do dia 28 de março, autorizando a retomada das “atividades do comércio em geral, aqui incluídos também os restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniências”. Na Ação, a Defensoria solicita, ainda, a revalidação do decreto anterior, n.º 149, de 22 de março de 2020, que permitia apenas o funcionamento de serviços essenciais, garantindo o isolamento comunitário horizontal como forma de prevenção e combate ao Covid-19.


Apresentada nesta terça-feira, 31, a ACP postula, também, a aquisição pelo Município de kits de testagem rápida em quantidade suficiente para atendimento à população de Porto Nacional a fim de evitar a subnotificação da doença, além da aquisição de Equipamentos de Proteção Individual para os profissionais de saúde em quantidade suficiente para suportar a duração da pandemia. A Ação ainda requer a aplicação de multa diária para a hipótese de descumprimento da decisão liminar, no valor de R$ 10 mil por dia de descumprimento, ou outro valor estipulado.


Assinada pela defensora pública Kenia Martins Pimenta Fernandes, a ACP é uma atuação conjunta com os defensores públicos Denize Souza Leite, Isabella Faustino Alves e Marcello Tomaz de Souza. De acordo com os defensores públicos, o Município de Porto Nacional, por ser a referência no atendimento da Saúde na região, que compreende ao menos outros doze municípios, e por contar com apenas uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e um Hospital Regional sem leito de UTI, não tem condições de suportar os danos advindos de uma disseminação agravada da Covid-19. A autorização para funcionamento do comércio representa estímulo à circulação de pessoas, que facilita o contágio e contraria as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde acerca do isolamento social como medida primeira de prevenção à disseminação do vírus.


Porto Nacional é referência em atendimento da saúde para os municípios de Fátima, Brejinho de Nazaré, Ipueiras, Silvanópolis, Pindorama, Santa Rosa, Chapada de Natividade, Natividade, Ponte Alta do Tocantins e Mateiros.


Miracema do Tocantins


Também nesta terça-feira, 31, a DPE-TO em Miracema do Tocantins, cidade que fica a 75 km da Capital, protocolou uma ACP a fim de revogar o decreto municipal nº 103/2020, emitido pela prefeitura local na última quinta-feira, 26, autorizando o funcionamento de todo o comércio, a abertura de templos religiosos e possibilitando que a população saia do isolamento e volte às suas atividades normais.


A ACP com pedido de tutela de urgência foi proposta pela defensora pública Franciana Di Fátima Cardoso Costa, que coordena o Núcleo Especializado de Proteção e Defesa dos Direitos da Mulher (Nudem) em Palmas e é a titular da Defensoria em Miracema. A defensora pontua a necessidade de adotar o isolamento como medida de prevenção efetiva, visto que o hospital do município de Miracema, que alega que os dois únicos casos suspeitos na cidade foram descartados, atende a cerca de 70 mil pessoas de municípios vizinhos como Lajeado, Tocantínia, Rio dos Bois e Miranorte.


Segundo Franciana Di Fátima, o hospital de Miracema tem funcionado, atualmente, com apenas dois respiradores e apesar de não haver casos registrados da doença, a cidade não suportaria uma infecção generalizada. “Miracema não possui nenhum caso registrado da doença, o que se decorre às medidas de prevenção tomadas inicialmente de forma segura e acertada”, afirmou a Defensora Pública.


Recomendada pela OMS o isolamento social horizontal tem sido, até o momento, a melhor forma para evitar a contaminação pelo novo coronavírus. O isolamento inclui atitudes simples como permanecer em casa, evitar aglomerações e caso seja necessário sair de casa manter uma distância segura de outras pessoas. Estas medidas diminuem o risco de contrair ou infectar os outros, caso tenha o coronavírus.


Guaraí


Proposta pelo defensor público Evandro Soares da Silva, na comarca da DPE-TO em Guaraí, que fica a 177 km de Palmas, a ACP demanda a suspensão do decreto municipal, nº 1.465/2020, de 27 de março, da prefeitura local, que traz a decisão de afrouxar o isolamento na cidade.


O pedido atende à necessidade de se inibir o quanto antes o grave risco a saúde, tanto dos clientes, quantos dos próprios prestadores de serviços. “Ao tirar as pessoas do isolamento, fará com que o vetor de transmissão do vírus se alargue a ponto do sistema de saúde da cidade não aguentar e entrar em colapso, condenando milhares de pessoas à morte, e trazendo em longo prazo muito mais prejuízos à economia do que os aparentes benefícios pretendidos pela volta do comércio neste momento de crise causado pela pandemia”, considerou o autor da ACP, defensor público Evandro Soares.


Acompanhando o regramento apresentado pela OMS, pelos Governos Federal e Estadual, a Prefeitura de Guaraí expediu o decreto nº 1.462/2020, em 19 de março, formalizando a situação de emergência em saúde pública no município, suspendendo por tempo indeterminado as atividades e os serviços não essenciais. Entretanto, uma semana depois, o Município editou novo decreto, o nº 1.465/2020, que flexibilizando a suspensão das atividades do decreto anterior para praticamente todo o comércio da localidade.


De acordo com o defensor público Evandro Soares, a gestão pública municipal seguiu na contramão de tudo que vem sendo realizado para contenção e achatamento da curva de contaminação do Covid-19 após “o clamor do setor empresarial e laboral pela flexibilização do funcionamento das atividades econômicas”, cedendo à pressão sofrida por parte do setor empresarial guaraiense.


Nos argumentos para suspender a flexibilização proposta pelo Município, o Defensor Público destaca que Guaraí é cortado pela BR-153, uma das rodovias mais movimentadas do Brasil, recebendo, por isto, milhares de pessoas diariamente, de diversas regiões do País, fator que eleva a exposição a população local ao perigo de contaminação e alastramento do novo coronavírus.


Para o Evandro Soares, há notória subnotificação dos casos no Brasil e a Secretaria de Saúde de Guaraí não tem noticiado os casos suspeitos. ‘’Transpassa uma sensação de tranquilidade, quando na verdade, a omissão no diagnóstico traz em verdade uma situação que pode ser muito mais grave do que o noticiado na cidade e no Estado’’, afirma Silva.


O Defensor ressalta ainda que o Hospital Regional de Guaraí é referência para 14 municípios. ‘’Não é preciso ser um vidente para prever o caos que será quando centenas de pessoas estiverem precisando de UTIs, tendo que ser deslocadas até Palmas por meio de ambulâncias, etc. Sem contar que a Capital também já terá seus problemas oriundos da epidemia’’, presume.


Medidas de prevenção


A atuação da DPE-TO em todo o Estado, seja com foco nas pessoas que trabalham na Instituição, seja para seus assistidos (as), prioriza a garantia da saúde individual e coletiva, que é um direito de todos (as).


A atuação da Defensoria está alinhada às orientações das organizações nacionais e internacionais de saúde. Além disso, o Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo coronavírus Covid-19, do Ministério da Saúde, considera que as medidas necessárias para se evitar a proliferação e contágio demandam restrição de contato e de circulação nos espaços urbanos e/ou rurais. (Defensoria Pública)

COMPARTILHE:


Confira também:


Seu bolso

Procon Tocantins oficia Energisa e solicita suspensão ou redução do reajuste nas contas de energia

O reajuste na tarifa de energia elétrica do Tocantins aprovado, vai variar de 1,79% até 8,54% conforme o tipo de consumidor.

Pressão

Órgãos ministeriais pressionam o governo do Tocantins e buscam na Justiça regularizar o abastecimento de insumos do Lacen

A falta de kits para extração genética impede que dados sobre a pandemia do novo coronavírus sejam computados e que o atendimento adequado aos doentes seja realizado, podendo agravar a disseminação da covi-19



Sanidade

Novo caso de mormo no Tocantins é confirmado em São Salvador

A constatação veio após a realização do exame complementar confirmatório western blotting


Taquaruçu

Circo de Família e o amor como resposta

O espetáculo “Circo de Família” será apresentado ao vivo a partir das 10h do dia 05 de julho. Os ingressos podem já podem ser adquiridos a partir do valor de R$ 5,00 na bilheteria online.


Prevenção

Campanha Nacional de vacinação contra Influenza é prorrogada até dia 24 de julho

Com o objetivo de alcançar a meta estabelecida a vacina já foi distribuída para os 139 municípios


Regulação

ATR implementa atendimento presencial por agendamento


Justiça

Produtividade na Justiça Federal no Tocantins ultrapassa a marca de 26 mil processos julgados durante período de trabalho remoto


Tocantins

Monumento Natural Canyons e Corredeiras do Rio Sono completa oito anos de criação


Infraestrutura

Entrega de máquinas fecha ações do Governo do Tocantins em infraestrutura rodoviária no primeiro semestre de 2020


Economia

Intenção de consumo das famílias de Palmas cai novamente em junho


Eleição CREA-TO

Engenheiro Jefferson segue na liderança para Presidente do CRE-TO



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira