Tuesday, 20 de October de 2020

JUSTIÇA


Stricto Sensu

Esmat é a primeira Escola de Magistratura do País a realizar bancas virtuais de defesa de Mestrado

23 May 2020
Esmat é a primeira Escola de Magistratura do País a realizar bancas virtuais de defesa de Mestrado

Mesmo em dias de confinamento e isolamento social, devido à COVID-19, alunos do Mestrado Profissional do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos, desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) seguem firmes em sua jornada de crescimento acadêmico. Até o momento,  cinco defesas de dissertação já ocorreram na modalidade virtual, com o auxílio de plataformas digitais. Com isso, a Escola Superior da Magistratura Tocantinense (ESMAT) tornou-se a primeira instituição de ensino destinada a magistrados a realizar bancas de dissertação pela internet no País.

Para o diretor geral da Esmat, desembargador Marco Villas Boas, os investimentos em infraestrutra acadêmica deram o suporte para que o Programa de Pós- Graduação Stricto Sensu não fosse interrompido devido à pandemia global do Coronavírus. “Não só o Mestrado, mas também cursos na modalidade de Ensino à Distância, videoconferências e palestras seguem com suas atividades normais. Estamos em isolamento social, mas nossa equipe permanece empenhada em garantir a missão de nossa entidade, que é a de formar e aperfeiçoar magistrados e servidores em busca de boas práticas e da excelência da prestação jurisdicional”, frisou.

 

Começo

 O primeiros acadêmico a utilizar o novo formato de avaliação foi o  magistrado Eduardo Barbosa Fernandes, que vive há nove anos em Arraias, na região Extremo-Sudeste do Tocantins, dando o exemplo. Tendo sua pesquisa, intitulada “Gestão das Unidades Judiciárias de Primeiro Grau na Justiça Estadual do Tocantins”, estava com defesa marcada para a primeira semana de março, data em que se iniciaram as primeiras ações de distanciamento social no Tocantins. “A preparação seguia normalmente, conforme as diretrizes traçadas com o professor-orientador, porém teve de ser adiada em razão das medidas de isolamento social. A princípio não havia outra data definida. No início do mês de abril recebi a informação de que a UFT havia normatizado o procedimento para defesa por videoconferência e me questionou se eu concordava ou preferia aguardar a liberação para defesa presencial, ainda sem data definida. Concordei com defesa por videoconferência, a qual se deu em 9 de abril”, afirmou.

Adaptações

Ainda segundo o magistrado, toda uma preparação teve de ser montada para o novo formato, uma vez que a própria defesa da dissertação representa um grande avanço na vida acadêmica, mas em contrapartida também foi um momento de grande ansiedade. “Como não sabia o procedimento da apresentação propriamente, meu orientador fez a explanação sobre o passo a passo do sistema de videoconferência adotado pela UFT, a partir daí passei a ensaiar a exposição, pois o tempo se limitava a 20 minutos, como na modalidade presencial, porém em um ambiente virtual, e depois de alguma preparação consegui resumir o assunto no tempo determinado”, ressalta.

 

 

Avaliação

Após a apresentação, que durou cerca de uma hora, além do preparo antes do início da defesa, o juiz aprovou a nova modalidade de avaliação. “Acredito ser um caminho interessante, não só neste momento de crise e necessidade de distanciamento, mas uma ferramenta a ser pensada para reduzir custos na formação técnica e acadêmica, notadamente em pós-graduação”, ressaltou.

Já a apresentação da assessora jurídica Nathalia Canhedo, residente na Capital e atuante no Juizado Especial Cível e Criminal da Região Norte, e seu trabalho acadêmico “A cooperação como instrumento de efetivação dos direitos do trabalhador resgatado em condições análogas à de escravo no Tocantins”, ocorreu no último dia 5 de maio. Necessitou de treinamento e preparação; contou também com uma pequena porção de ansiedade e tendo como expectador seu esposo. “Gostei do formato, embora tenha ficado muito ansiosa com relação a dar algum problema na internet, no computador ou mesmo na apresentação. Então, tive de pensar em um plano B para caso algo desse errado”, lembra.

No final tudo deu certo, e para a pós-graduada, apesar de a duração da defesa ter se estendido ao prazo habitual, o recurso adaptado de avaliação garantiu a sua aprovação no Mestrado. “É um recurso relativamente fácil de ser utilizado, e o fato de estar em casa, sentada, no conforto do lar me deu um pouco mais de segurança na fala, até mesmo para administrar o tempo”, afirma a mestra.

 

Parceria

De acordo com Eugenia Paula Meireles Machado, chefe de Divisão Pedagógica do Mestrado, devido à pandemia do COVID-19, a defesa de dissertação, realizada em 9 de abril, foi a primeira, na história da Escola Superior da Magistratura Tocantinense, a ser defendida totalmente por videoconferência. O resultado, em parceria com a UFT foi bastante satisfatório. “A banca foi defendida durante a quarentena, quando a Esmat já havia suspendido a maior parte de suas atividades presenciais em virtude da pandemia do Covid-19. Por este motivo, a sessão de defesa ocorreu virtualmente, com a participação do mestrando e dos professores por meio de plataforma digital. Isso é um marco importante para demonstrar o valor e a responsabilidade que a Escola tem para com o público de estudantes e profissionais”, ressaltou.

 

Mestrado

Lançado em 2013, o Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu de Mestrado Profissional em Prestação Jurisdicional e Direitos Humanos, desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT) encontra-se atualmente em sua oitava turma de acadêmicos. Atualmente, as disciplinas e orientações se dão por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) da Esmat, como também em diversas plataformas de videoconferência disponíveis na Internet. Atualmente, 127 alunos já defenderam suas dissertações e receberam o Diploma de mestre.

COMPARTILHE:


Confira também:


Ocorrência

Ação da Polícia Civil resulta na libertação de refém e na prisão de cinco homens, incluindo um policial civil aposentado do Maranhão

Mulher foi mantida refém desde o último sábado e era ameaçada de morte por conta suposta dívida contraída pelo marido.

Tocantins

Governo do Tocantins moderniza unidades de atendimento do É Pra Já

Através da capacitação dos servidores e melhorias na infraestrutura, as Unidades garantem atendimento de qualidade aos cidadãos


Palmas

Eli Borges se reúne com produtores rurais onde apresenta suas propostas para gerar cerca de 3 mil empregos no campo

Eli Borges vai buscar mecanismos para fomentar a instalação de agroindústrias; fortalecer o projeto de criação de peixe em cativeiro; atrair indústrias para processamento do pescado; e perfurar poços artesianos para os produtores que enfrentam a falta d’ág


Palmas

Cinthia Ribeiro diz que som ambiente com voz e violão está liberado em Palmas, sem aglomeração

Com o entendimento sobre a liberação do som ambiente, mas desde que não ocorra aglomeração, a Prefeita Cinthia frisou: “em nenhum momento proibimos o som ambiente, mas os shows e aglomerações sim"


Eleições 2020

Alan Barbiero ressalta implantação da UFT e reforça compromisso com a educação


Ruth Almeida

História da chef Ruth Almeida é contada em festival de gastronomia no Maranhão


Agentes

Para ampliar as ações de proteção ambiental, Cinthia promete concurso para Agentes de Fiscalização


Palmas

Joseph Madeira se reúne com músicos impedidos de trabalhar pela Prefeitura


IPTU

IPTU de 2021 em Palmas não terá aumento e taxa para eventos será suspensa, garante Cinthia


Estado

Governo do Tocantins promove reuniões on-line para orientações aos municípios



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira