Monday, 11 de November de 2019

JUSTIÇA


Sesau

Juiz determina que o Estado propicie tratamento médico para idosa que sofre com dores no abdômen e barriga

27 Jul 2019    14:01    alterado em 27/07 às 14:01
Juiz determina que o Estado propicie tratamento médico para idosa que sofre com dores no abdômen e barriga

“Com efeito, a saúde da população é dever do Estado e garantia do cidadão, devendo aquele propiciar o suficiente para o seu bem estar; assim, com fundamento no princípio da dignidade da pessoa humana” afirmou o juiz José Eustáquio de Melo Júnior, em sentença publicada nesta sexta-feira (26/7).

O magistrado citou o artigo 1º, inciso III, da Constituição Federal que dispõe que “nenhum cidadão poderá sofrer qualquer ato que atente contra a sua saúde e coloque a vida em iminente e concreto risco”, para conceder liminar com caráter de urgência e determinar que o Estado do Tocantins realize tratamento médico para uma senhora de 60 anos, que já aguardava por nove meses uma consulta e, acamada, padece com dores fortes na barriga e abdômen.

Conforme os autos do processo, ela foi diagnosticada com colelitíase e esteatose hepática grau II. O laudo médico indica que ela sofre com cálculo na vesícula biliar que, somado ao excesso de gordura, o fígado também fica inflamado. Com dores constantes, a idosa não dispõe de condições financeiras para arcar com a despesa de tratamento de alto custo. E, por diversas, ela, que faz uso de analgésicos fortes, foi encaminhada para atendimento no Hospital Regional de Xambioá.

Ainda segundo os autos, o Estado alegou em sua defesa a incidência da reserva do possível, e que passa por limitações orçamentárias, mas José Eustáquio entendeu que o uso dessa relevância do mínimo existencial é justamente garantir uma maior efetividade aos direitos sociais. “Sempre que o Estado não comprove suas alegações e se limite a simples menção da existência da clausula da reserva do possível, o que inviabiliza qualquer análise efetiva da questão como é o caso em julgamento”.

Ao julgar o processo procedente, José Eustáquio afirmou que restou comprovado que a assistida necessita de tratamento de sua enfermidade, sendo que “O Estado deve disponibilizar um sistema de saúde adequado e eficaz aos seus cidadãos, fornecendo os medicamentos e procedimentos necessários ao tratamento de doenças físicas ou psíquicas de cada individuo”.

Ao confirmar a liminar deferida, o juiz, que é titular da 1ª Escrivania Cível de Xambioá, determinou que todas as indicações de tratamento da senhora devem ser ofertadas pelo Governo estadual, e mesmo que sejam necessários, exames, medicamentos e cirurgia “imprescindíveis ao tratamento e manutenção da saúde e vida da requerente”.

Confira a sentença aqui.

COMPARTILHE:


Confira também:


Soja

Plantio de soja no Tocantins atinge 30% da área a ser cultivada

A expectativa para produção de grãos na safra 2019/2020 é atingir 4,9 milhões de toneladas, ultrapassando a safra anterior que produziu 4,8 milhões de toneladas, um aumento de 1,5%.


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira