Wednesday, 18 de September de 2019

OPINIÃO


Opinião

Para de roubar no jogo, enfrente a vida!

21 Nov 2012

A maioria de nós se encontra à deriva, sendo levado, arrastado e devolvido pela correnteza, apesar de imaginarmos estar com algum controle sobre nossas vidas. O por quê?

Salvo magnanimidade excelsa de iluminados seres que se conectam a grande força, a maioria de nós, em formato mais realista de vida, ocidental e capitalista, costuma viver e sofrer diariamente.

O mesmo parece se conectar com o fato de estarmos a criar expectativas de sucesso nos projetos que obtusamente elencamos de forma aleatória.  Revelando uma lógica do absurdo característico dos sonhos, que os colocamos em vida e a eles damos formato e governo.

E quando os projetos fracassam, sofremos!  

Nestas horas buscamos qualquer objeto acerca para não naufragarmos.  Agarramo-nos a ele, e o conferimos o “poder” de nos ajudar a sair destas situações, advindas de “pseudo-fracasso”, que muitas vezes nos levam a depressões, desesperos. Ao fim, a dor em si.

É usual, quero crer, que muitos depositam esta sensação “de falta de chão” a nos amparar, ou na religião (seja qual for) ou na filosofia. Imputo aleatoriamente, que os mais crentes, buscam a religião – que promete a salvação pela fé cega.

E que as pessoas de caráter mais racional em comportamento, se arriscam a buscar auxílio na filosofia – que promete a salvação pela razão. Contudo, adentrar na filosofia, não é matéria fácil de realizar, pois a literatura da mesma, fatalmente os empurrará em direção a leitura de obras como as de Kant, Hegel, Nietzsche, Platão ou algum pré-socrático.

Acho dispensável me estender no formato dos que buscam a religião, pois cada um a sua maneira deposita o “problema” em fé, para o divino em sua busca vir a ajudar.

Para fugir do lugar comum, a delatar algum sentido vazio para o texto, o inchando de informações desnecessárias, irei me aventurar a mapear a origem desta turbulência, e a ela dar um pouco de luz para nos ajudar.

Um amigo falou – caso ele queira, publico depois o nome dele – ter escutado ou aprendido que só existe um pecado: Roubar. E que todo o resto era decorrência deste.

Para compreensão do mesmo é necessário ampliar nossa ideia da palavra roubo. E o mesmo me exemplificou: “Se mentimos, roubamos do outro o direito de saber a verdade”.

Ao colocarmos culpa nos terceiros, os roubamos de se defender e se manter sereno e não agoniado em busca de provar sua inocência.

Se matarmos, do outro retiramos a bênção da vida.

Se trairmos, induzimos à outra parte a sensação de perda da confiança, além de nele depositarmos semente da indignação por acabar a se sentir um ingênuo e tolo.

Se não cooperamos para a realização do projeto alheio, catapultamos o próximo para o fosso da frustração, como acontece conosco que precisamos dos mesmos próximos para nos completar.

Enfim gostaria de demonstrar ao final, que é inerente as relações sociais, não se desenvolverem na forma 100% suave, e que a todos agrade. Gregos e Troianos.

Talvez seja exatamente desta asserção que podemos encontrar o sêmen, o grão original, que a nós passa despercebido, sendo o responsável, pelas situações geradoras da nossa vivência em sociedade. E que às vezes acaba por nos causar o insucesso.

Logo, o que adoraria concluir é que: caso consigamos ver esta dinâmica em nossas trocas sociais, poderemos ficar menos desamparados e não mais a mercê, ou vagar do inevitável resultado das interações sociais.
Sempre alguém ou alguma coisa nos roubará o direito de algo, ou pode nos incorporar ao poço da frustração.
Imaginem que bom se nos fosse dado a vidência de entender estes cursos decorrentes de qualquer relação – pois o próximo tem seus projetos e não partilha necessariamente de ajudar a concretizar os seus – e vice versa. Tão simples quanto.

Termino: Melhor não perder tanto tempo com a filosofia, ou a religião como bengalas para estes desapontamentos e começar a encarar as verdades da vida.


Abraços,


Renato Schmekel
O autor na internet:
http://www.facebook.com/AutorRenatoSchmekel
http://www.renatoschmekel.com.br/

COMPARTILHE:


Confira também:


LRF

Deputados comemoram enquadramento do Estado na LRF

Andrade informou ainda que em 30 dias as obras da nova ponte de Porto devem começar.

Operação Peterrock

PF investiga pessoas responsáveis por disseminação internacional de pornografia infantil

O nome da operação faz alusão ao codinome utilizado pelo responsável pela disseminação do material contendo cenas pornográficas de crianças e adolescentes no Estado do Tocantins.



Honraria

Participante de programa do Instituto TIM vence prêmio global da ONU

Anna Luisa Beserra ganhou o Jovens Campeões da Terra com solução solar para purificar a água; projeto foi desenvolvido na edição de 2018 do Academic Working Capital


Agrotóxicos

Assembleia debate uso de agrotóxico em audiência proposta por Zé Roberto Lula

Presente na audiência, o procurador da República Álvaro Manzano, falou da importância de realizar a discussão em um momento, em que ele avaliou como de extrema relevância.


Economia

Endividamento atinge mais de 68% dos palmenses em agosto

O ranking das principais dívidas continua sendo: cartão de crédito, seguido de financiamento de carro e carnês.


Vestibular

Inscrições abertas para o Vestibular da Unitins


Ocorrência

Polícia Civil prende mulher suspeita de estelionato no sudeste do Estado


Proibição

Adapec apreende carga de 10 toneladas de sementes de capim irregular na TO-050 entre Palmas e Porto Nacional


Tocantins

Adetuc e consultores reúnem-se para definir implantação do Observatório do Turismo do Tocantins


Educação

Com palestras, professor da Rede Municipal de Palmas motiva alunos a enfrentarem obstáculos


Preservação

Praias de Babaçulândia recebem o mutirão de limpeza do projeto Praia Limpa, Praia Viva



  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira