Wednesday, 21 de November de 2018

VIVER


DOCTV IV

Hélio Brito e Whebert Araújo são contemplados

21 Aug 2008

Na manhã da última sexta-feira, 15, foram anunciados, na sede da Redesat, os dois projetos contemplados na quarta edição do programa. Dos 10 projetos inscritos, cinco foram pré-selecionados, mas apenas dois deles foram vencedores. Esta, inclusive, é uma novidade para o Tocantins, que até a última edição, realizada em 2006, contemplava apenas um projeto. “Fico muito feliz por este ano o júri ter tido a oportunidade de escolher dois vídeos. Sabemos que havia muita dificuldade na escolha, estão isso veio facilitar para o júri”, comenta Hélio Oliveira de Brito, segundo colocado este ano.

Os projetos vencedores do programa nesta edição foram, em primeiro lugar, “O Mistério do Globo Ocular”, de autoria do jornalista Wherbert da Silva Araújo, e a segunda colocação foi para “Ligeiramente Grávidas”, do produtor de vídeo Hélio Oliveira de Brito.

Wherbert é estreante no concurso e se emocionou ao falar que sempre sonhou em ser diretor de cinema, mas nunca havia corrido atrás de seu sonho. “O DOCTV representa meu pontapé inicial e fico feliz por já sair vencedor com meu primeiro projeto”, declarou. O documentário “O Mistério do Globo Ocular”, primeiro colocado, aborda o problema da cegueira que aconteceu em Araguatins, no final de 2005, e que, até hoje, há indícios de que existe uma possível contaminação de pessoas que tomaram banho no Rio Araguaia. “O documentário começa com uma investigação, mostra o problema, mas nossa proposta não é apresentar uma resposta, para que o expectador tenha sua visão”, explica o autor do projeto.

O segundo colocado é o veterano Hélio Oliveira de Brito, que venceu a primeira edição do DOCTV em 2003, com o vídeo “Cadê Profiro?”. E, desta vez, o projeto contemplado foi para o documentário “Ligeiramente Grávidas”, que trata da gravidez na adolescência. Segundo o autor, este é um problema que se agrava a cada ano no Brasil, e o Tocantins é o campeão nacional de gravidez nesta fase. O produtor ainda informou que, no Brasil, 23% das adolescentes entre 10 e 19 anos ficam grávidas, e, no Tocantins, esse percentual chega a 34%. “O documentário vai investigar a vertente que pode ser uma das causas desse índice tão elevado – as musícas com letras maliciosas, de duplo sentido, cujo o sucesso aqui é escandaloso”, explica Hélio, que acrescenta: “Aliado a isto, há um provável mau uso de preservativos e a falta de educação sexual nas escolas”.

 

O que é o DOCTV?

Lançado em agosto de 2003, o DOCTV é uma iniciativa realizada pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, pela Associação Brasileira das Emissoras Públicas Educativas e Culturais (ABEPEC), pela TV Cultura - Fundação Padre Anchieta e da TV Brasil - Empresa Brasil de Comunicação, com o apoio da ABD Nacional - Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas.

O programa atua em toda a cadeia produtiva do documentário, desde a formação, passando pela produção e difusão dos filmes em TV pública aberta, até a comercialização. Os documentários do DOCTV passam por um amplo processo composto por diferentes ações de formação, que incluem Oficinas para Formatação de Projetos, ministradas por documentaristas e pesquisadores de todo Brasil. Nesta 4ª edição do programa DOCTV, foram realizadas 23 Oficinas para Formatação de Projetos em 20 estados, além do Distrito Federal, mobilizando quase 700 realizadores em todo Brasil, que se inscreveram e participaram das aulas.

O programa teve em suas três primeiras edições 2.310 projetos de documentário inscritos em 74 concursos estaduais, tendo co-produzido 115 documentários e gerado mais de 3 mil horas de programação para a Rede Pública de Televisão. Nessa quarta edição, foram inscritos 665 projetos de documentários em 26 concursos estaduais do DOCTV IV; destes, 638 foram deferidos. No Tocantins, foram inscritos 10 projetos, tendo sido dois deles premiados.

Nas edições anteriores, os projetos vencedores no Estado foram: “Cadê Profiro?”, de Hélio Oliveira de Brito, na primeira edição, em 2003; “Tocantins – Rio Afogado, de João Luiz Neiva Brito, na segunda edição, em 2004; e, em 2006, “Raimunda, a Quebradeira”, de Macelo Silva, na terceira edição do programa.

COMPARTILHE:

O que você achou da notícia?

5

PARABÉNS!
PARABÉNS!

7

BOM
BOM

6

AMEI!
AMEI!

7

KKKK
KKKK

8

ENGRAÇADO
ENGRAÇADO

6

Ñ GOSTEI
Ñ GOSTEI

3

CREDO!
CREDO!

Comentários

comments powered by Disqus


Confira também:


AL

Mauro Carlesse recebe Comenda Ordem do Mérito Legislativo na Assembleia

Comenda é entregue em reconhecimento público a personalidades que contribuíram e que ainda contribuem para a consolidação do Estado


  Blogs & Colunas


TiViNaLili

Lili Bezerra


Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira