Monday, 30 de March de 2020

VIVER


Viver melhor

Para Serginho Moreira, a dança não tem idade e nem contra-indicação

06 May 2009

Criado em 1982 pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), o Dia Internacional da Dança foi comemorado no último dia 29 de abril, em homenagem a Jean-George Noverre, formulador das bases cênicas da dança no século dezoito e autor das "Cartas sobre a Dança e os Ballets", livro fundamental até hoje para estudar a teoria e a prática da arte. Mas quais seriam os benefícios da arte secular que atrai e envolve tantas pessoas?

Para o professor Serginho Moreira, que está em Palmas há 9 anos com sua Escola de Dança, os benefícios são inúmeros. Dentre eles, Serginho destaca em primeiro lugar o aspecto físico, que, segundo ele, como toda atividade física, traz um melhor condicionamento além de trabalhar postura e alongamento. Outros benefícios apontados por Serginho são o psicológico e o social. Para o dançarino, a dança permite uma maior socialização, além de deixar a pessoa mais disposta e alegre pela sensação de prazer que oferece. “Eu percebo uma mudança muito grande no comportamento das pessoas depois que começam a praticar a dança. Além disso, a dança não tem idade, nem contra-indicação e ainda abre portas para conhecer pessoas e fazer amizades”, ressalta Serginho.

Mas além da sua escola trabalhar com aulas de dança de salão, street dance, dança do ventre, cardiodance, entre outras, Serginho não para por aí. O professor também realiza um trabalho social que visa proporcionar aos alunos das escolas públicas municipais e estaduais a oportunidade de ampliar seus horizontes, ter contato com outras culturas e melhorar seu desempenho intelectual e físico.

É o Projeto “To Dançando”, que abre 30 vagas, todos os semestres, para os alunos da rede pública de ensino, com idade acima de 13 anos. Os alunos, além das aulas de dança, realizam pesquisas sobre a origem da dança e dos diferentes ritmos e só podem permanecer no projeto se mantiverem uma média mínima de sete pontos em todas as disciplinas na escola. “A dança é só o meio para que esses jovens possam ampliar seus horizontes. Com o projeto, já tivemos seis alunos formados, quatro estão na universidade e vários outros estão fazendo cursos na Escola Técnica, ou cursos de inglês e informática”, comemora Serginho.

O projeto já conta com o apoio do Instituto Mudança de Vida e da União do Lago, mas tem buscado parcerias para a sua ampliação.

COMPARTILHE:


Confira também:


Salários

Governo do Tocantins antecipa salários

Salário dos servidores já estará disponível para saque nesta terça, 31


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira