Monday, 24 de February de 2020

VIVER


Diversidade

Uruguai é o país latino-americano mais seguro e amigável para a comunidade LGBTQ+

06 Dec 2019
Uruguai é o país latino-americano mais seguro e amigável para a comunidade LGBTQ+

Montevidéu / São Paulo – dezembro de 2019 – Uruguai está em 1º lugar na América Latina e em 18º no mundo como país mais amigável e seguro para as comunidades de lésbicas, gays, bissexuais e transgênero (LGBT), segundo pesquisa divulgada pela empresa Asher Fergusson – renomada especialista em viagens.

 

A Suécia foi apontada como o país mais amigável no mundo. O novo ranking analisou os direitos e segurança oferecidos aos membros da comunidade em 150 países com base em oito fatores:

 

- Legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo;

- Proteção de direitos no local de trabalho;

- Proteção contra discriminação;

- Reconhecimento de adoção;

- Punição por crimes de ódio;

- Índice Gallup se é um bom lugar para morar;

- Dois aspectos para a recusa: como as leis da moralidade e a ilegalidade das relações entre pessoas do mesmo sexo.

 

O Uruguai é o país latino-americano mais bem posicionado, com uma pontuação de 237 (B + se fosse um cartão de notas). Depois do vizinho, no ranking latino-americano está a Colômbia.

 

Na classificação mundial, o pais está acima de outros do primeiro mundo, como Estados Unidos e Alemanha. Entre os países mais perigosos estão, nesta ordem: Nigéria, Catar, Iêmen, Arábia Saudita, Tanzânia, Irã, Sudão, Barbados, Malásia, Malawi. São nações (adicionadas a muitas outras que as seguem no ranking) sem nenhuma proteção à comunidade gay, mas também com rigorosas leis de moralidade e proibição legal de fazer sexo com pessoas do mesmo sexo.

 

O país mais mal localizado das Américas é a Jamaica, onde há uma forte homofobia. Na América do Sul, o pior classificado é o Paraguai.

 

Fonte: Montevideo.com

Ranking: https://www.asherfergusson.com/lgbtq-travel-safety/

COMPARTILHE:


Confira também:


Especial

Entenda os limites para o comportamento no Carnaval; novas leis endurecem excessos

Pelo segundo ano consecutivo, os brasileiros vão brincar tendo como limite a Lei 13.718/2018, que criou o crime de importunação sexual


  Blogs & Colunas



Entre nós

Virgínia Gama


Arquitetura & Design

Riquinelson Luz


Vida Plena

Valquiria Moreira


As Tocantinas

Célio Pedreira